Postado em terça-feira, 21 de maio de 2019 às 09:09

Polícia Civil esclarece prisão de suspeitos de tortura e assassinato

Os homens presos são apontados como os responsáveis pela participação na tortura e execução de um homem. O crime foi divulgado em redes sociais.


Da Redação

A Polícia Civil de Alfenas identificou e cumpriu mandados de prisão de dois homens apontados como os responsáveis pela tortura e execução de Ueslei Vitor Portugal, ocorrida no início do mês. Toda a ação dos criminosos foi gravada e as imagens compartilhadas nas redes sociais, gerando grande repercussão. 

Na segunda-feira, o delegado Márcio Bijalon concedeu entrevista à imprensa para dar mais detalhes sobre o caso. De acordo com Bijalon, os dois homens presos são de São Paulo e do Ceará. São eles Gerlúcio Batista de Souza, 34 anos, e Joel Silva Souza, 26 anos.

A Justiça concedeu os mandados de prisão deles após um pedido da Polícia Civil, que aponta o envolvimento dos dois no crime ocorrido provavelmente na madrugada do último dia 5. Porém, eles já haviam sido detidos na noite do dia 5 de abril quando o homicídio ainda não havia sido descoberto. Naquela ocasião, eles haviam sido presos por posse ilegal de arma de fogo, entretanto o delegado plantonista entendeu não ser possível a ratificação da prisão devido a arma ser ineficiente.

O delegado Márcio bijalon, acompanhado do investigador José Augusto Martins, durante entrevista coletiva.
No detalhes, os suspeitos presos (Fotos: Reprodução/Minas Acontece)


Silva chegou a apresentar documento falso. Os suspeitos foram identificados e a Polícia descobriu que os dois eram alvos de mandados de prisões em aberto oriundas de seus estados. A partir daí, eles ficaram detidos.

Na manhã de terça feira, dia 7, a Delegacia de Homicídios tomou conhecimento do vídeo com o homicídio e determinou a imediata identificação e localização do corpo, o que ocorreu na parte da tarde.

De acordo com a Polícia Civil, em um trabalho conjuntodas equipes de furto e homicídios, os investigadores conseguiram obter provas para solicitar à Justiça a prisão preventiva dos dois suspeitos. Foram comparados os vídeos, tatuagens e roupas, ajudando na identificação dos suspeitos. As roupas, que teriam sido usadas no dia do crime, foram localizadas na residência em que os indivíduos estavam hospedados no dia prisão. Na sexta-feira, a Polícia Civil oficializou os mandados na prisão

A Polícia Civil informou que as investigações continuam para apurar se há outros indivíduos envolvidos no crime.



NOTÍCIAS RELACIONADAS


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.