Postado em sexta-feira, 29 de março de 2019 às 19:07

Transplante de cocô: remédio inusitado para curar doenças do intestino

Nas fezes, todos nós temos aproximadamente 70 trilhões de bactérias, que habitam o nosso corpo num equilíbrio muito importante para nós, porque elas são responsáveis pela nossa saúde.


Um remédio inusitado para curar doenças do intestino. Já ouviu falar de transplante de fezes? Existe um tipo de colite, chamada de pseudomembranosa, que é uma inflamação no intestino grosso bem difícil de tratar e pode levar até a morte. Nesse caso, o melhor remédio quando o antibiótico não funciona é o cocô.

Nas fezes, todos nós temos aproximadamente 70 trilhões de bactérias, que habitam o nosso corpo num equilíbrio muito importante para nós, porque elas são responsáveis pela nossa saúde.

No transplante, as bactérias são diluídas em soro, coadas e injetadas no intestino do paciente. Elas ajudam a devolver o equilíbrio e a saúde. Mas como encontrar um doador?

“Não existe o cocô perfeito. Existe a pessoa saudável que vai ter um cocô saudável. Não tem nenhuma doença transmissível, que possa passar pelas fezes. Ele não pode ter tido diarreia nos últimos três meses, não pode ter tomado antibiótico nos últimos três meses. Se ele evacua rotineiramente, esse é um bom doador e vai ter boas fezes”, explica o gastroenterologista Flávio Quilici.

No Brasil, é preciso autorização da Anvisa para fazer o procedimento. Nos Estados Unidos, o transplante é comum. Há, inclusive, um banco de fezes para doação. “No mundo tem se estudado várias outras aplicações e indicações para esse tipo de transplante fecal. Autismo, depressão, doenças de fígado, doenças metabólicas como diabetes, obesidade. Mas ainda são estudos”, completa o gastroenterologista.


Fonte:BemEstar



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.