Postado em terça-feira, 30 de janeiro de 2018 às 10:10

Vereadora questiona retorno de ex-secretária executiva

A vereadora Kátia Goyatá rompeu o silêncio da Câmara Municipal em relação ao retorno da ex-secretária executiva Kátia Rodrigues ao governo.


Alessandro Emergente

A vereadora Kátia Goyatá (PDT) rompeu o silêncio da Câmara Municipal em relação ao retorno da ex-secretária executiva de Meio Ambiente Kátia Alvarez Rodrigues ao governo. O questionamento da parlamentar foi durante a sessão legislativa de segunda-feira. Nenhum outro vereador comentou o assunto. 

Exonerada em novembro, a ex-secretária executiva retornou ao governo dois meses após o seu desligamento, porém em outra função. Segundo apurou a reportagem, Kátia Rodrigues chegou a atuar um dia em uma unidade ligada a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, mas devido a um desentendimento foi transferida para Secretaria de Habitação. 

O governo procura evitar informações oficiais sobre o retorno da ex-secretária executiva. Procurado pela reportagem na semana passada, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Alfenas informou que retornaria a ligação com uma manifestação oficial, o que não ocorreu.

Repercussão

Os constantes questionamentos no dia a dia sobre o retorno da ex-secretária executiva, que é investigada em inquéritos instaurados pela Polícia Civil, foram ignorados pelos vereadores. Quem rompeu o silêncio foi Kátia Goyatá na última sessão, mas sem adesão dos colegas.

A parlamentar do PDT disse que não se questiona a prerrogativa do prefeito Luiz Antônio da Silva (Luizinho/PT) em nomear os profissionais que ele entenda ter o perfil adequado para compor o quadro de funcionários da administração. Porém, Kátia Goyatá colocou em questionamento graves denúncias feitas pela ex-secretária executiva logo após a sua exoneração.

Kátia Goyatá foi a única em plenário a comentar o reotrno da ex-secretária executiva (Foto: Alessandro Emergente/Arquivo)


A vereadora relembrou que Kátia Rodrigues fez publicamente graves denúncias contra o governo, inclusive de supostas fraudes em licitação. “O que aconteceu? O nosso prefeito recebeu algum tipo de pressão? Pressão por parte de quem e por causa de que?”, questionou.

A parlamentar disse ainda que o Ministério Público tem a obrigação de investigar as denúncias de supostas irregularidades, publicadas em veículos de comunicação na época. Para a pedetista, a nomeação está dentro da legalidade, mas distante da moralidade.

“Me avisaram: ela volta, pois se não voltar derruba-se a República. Foi o que foi dito aos quatro cantos da cidade”, declarou a pedetista ao relembrar frases comentadas nos bastidores na época da exoneração. Kátia Goyatá disse que até duvidou do retorno da ex-secretária executiva, mas afirmou “é melhor não duvidar de mais nada”.

Exoneração

Kátia Rodrigues foi exonerada logo após a Polícia Civil cumprir, no final de outubro, um mandado de busca e apreensão na casa da então secretaria executiva e outro na sede da Secretaria de Meio Ambiente. Dois inquéritos foram instaurados: um para investigar um suposto desvio de gasolina da Prefeitura de Alfenas e outro para investigar a morte de um jacaré que estava no Zoológico de Alfenas.


Durante a sessão legislativa, os vereadores aprovaram o adiamento da votação do projeto de lei que autoriza a instituição do programa Reconstruir, que seria votado em primeiro turno. Oito requerimentos foram aprovados pelo plenário. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.