Postado em segunda-feira, 22 de junho de 2020 às 19:07

Presidente do PT publica nota em resposta a discurso da vereadora do PDT

Tani Rose solicitou a redação a publicação de uma resposta ao discurso de Kátia Goyatá, publicado na semana passada.


Alessandro Emergente

A atual presidente do diretório municipal do PT e ex-vereadora Tani Rose encaminhou ao Alfenas Hoje, na tarde desta segunda-feira, uma nota oficial em resposta ao discurso da vereadora Kátia Goyatá (PDT) na semana passada

Na sessão legislativa, da segunda-feira passada, Kátia criticou a presidente do PT, que é autora da representação que gerou a instauração de uma comissão de ética para investigar a conduta da parlamentar do PDT. Kátia chegou a dizer que Tani Rose “não aguentou o tranco” ao comentar o fato dela ter abdicado ao cargo, renunciando a função.

Tani Rose, presidente do PT de Alfenas, publicou nota em resposta ao discursos da vereadora do PDT (Foto: Alessandro Emergente/Arquivo)


A petista disse que a representação foi uma decisão coletiva e que nunca respondeu aos ataques pessoais e nem contra o PT embora, segunda ela, tenha sido alvo constante de seus comentários nas redes sociais. “O meu perfil não é de fazer perseguição, tanto é que nunca respondi aos ataques da vereadora Kátia e nunca ataquei o seu partido, o PDT”, afirmou.

Na nota, Tani Rose reproduz um trecho do discurso da vereadora para responder na sequência. “A vereadora Kátia disse em plenário nessa data que ‘a militante do Partido que assinou a representação, contra mim, é muito mais bonito, é muito melhor, eu ficar aqui e dar a cara a tapa do que fazer o que ela fez, “óh”, deu linha, correu, cascou fora, não aguentou o tranco’”, reproduz a nota.

>>Leia a nota na íntegra

Na sequência da nota, Tani Rose disse que “dar a cara a tapa”, expressão usada pela pedetista, foi o que ela fez ao assumir a Secretaria de Educação, “com mais de 1.800 funcionários e que estava cheia de grandes desafios”. Afirmou ainda que não retornou a cadeira de vereadora, após deixar o comando da Secretaria de Educação, para não parecer que buscava maior remuneração e devido ao curto tempo que teria como parlamentar, no final da atual legislatura.

A petista disse que a frase “não aguentou o tranco” está carregada de um discurso machista, “pois sabemos que as mulheres têm capacidade de exercer qualquer função política e em qualquer esfera”. “As pautas da valorização das mulheres, a defesa do meio ambiente e dos animais são bandeiras que defendi historicamente, antes mesmo de ter conquistado um espaço na política, não faço desses temas apenas discursos de época de eleição”, finaliza.

A denúncia, protocolada pela presidente do PT, aponta suposta quebra de decoro parlamentar devido a participação da pedetista na votação do projeto de lei que fixou o possível destino de um terreno no Jardim Aeroporto. O lote é alvo de uma disputa judicial entre a Prefeitura de Alfenas e a Sociedade Amigos do Jardim Aeroporto (Saja). De acordo com o documento, assinado pela presidente do PT, Kátia era integrante da Saja e, portanto, teria interesse direto no projeto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.