Postado em domingo, 3 de novembro de 2019 às 11:11

Túmulo de jovem morta em 1968 é um dos mais visitados no Cemitério de Alfenas

Doralice, que morreu aos 21 anos, é tida como intercessora dos estudantes.


Da Redação

Doralice morreu em 1968 vítima de uma leucemia. Foi sepultada no Primeiro Cemitério e seu tumula, desde então, passou a ser um dos mais visitados. É que a jovem, falecida aos 21 anos, é tida como intercessora dos estudantes, atraindo um grande número de visitantes aos seu túmulo em dias de Finado, como no último sábado.

O mito de que Doralice seria protetora dos estudantes surgiu porque dizem que ela gostava de ensinar literatura às pessoas. Quando ela morreu o pai da jovem decidiu fazer uma estátua dela para colocar sobre o túmulo, o que facilita a identificação.

A imagem de Doralice ajuda a identificação do local, muito procurado entre os estudantes (Foto: Reprodução/EPTV)


Muitos estudantes visitam o local e deixam, aos pés da estátua, livros e apostilas com pedidos de ajuda nos estudos. "É uma força para fazer uma boa prova, paciência, calma, para dar tudo certo no que eu quero", disse o estudante Wellington Luiz Ferreira da Silva em entrevista à EPTV.

A estátua de Doralice é a única imagem no Cemitério Municipal de Alfenas que fica de costas para o portão principal, voltada para o pôr do sol. Foi colocada no alto das pedras porque, segundo a família, era o modo que ela gostava de ficar estudando na fazenda. Mas há uma outra versão: a de que o pai colocou em um local mais alto porque queria que ficasse protegida. As informações foram divulgadas pela EPTV em uma reportagem no último sábado.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.