Postado em quinta-feira, 18 de julho de 2019 às 12:24

Levantamento mostra que Tábata não vota seguindo ordens de ´partido clandestino´, como disse Ciro

Desde a noite de quarta-feira da semana passada (10), a deputada Tábata Amaral (PDT-SP) virou alvo de uma enxurrada de críticas de militantes de esquerda.


Da BBC Brasil

Naquela noite, ela contrariou a decisão do comando do seu partido e votou "sim" ao texto-base da Reforma da Previdência. O candidato presidencial da sigla nas eleições de 2018, Ciro Gomes, chegou a dizer que ela fazia "dupla militância" e integrava um "partido clandestino", o grupo RenovaBR. Nesta quarta (17), o PDT decidiu suspender Tábata e os outros sete deputados que votaram a favor da reforma.

Agora, um levantamento feito a pedido da reportagem da BBC News Brasil com as 147 votações nominais realizadas pela Câmara dos Deputados desde o começo de 2019 mostra que Tábata Amaral foi a deputada mais "infiel" de seu partido no período.

Porém, ao contrário do que diz Ciro Gomes, o RenovaBR não age dentro do Congresso como um "partido": isto é, os nove deputados eleitos que receberam bolsas do movimento não tiveram uma atuação coesa nas votações da Câmara.

Os dados desta reportagem foram compilados pelo cientista político Guilherme Jardim Duarte a partir da ferramenta de dados abertos disponível no site da Câmara dos Deputados.

Duarte é doutor em direito constitucional pela Universidade de São Paulo (USP) e doutorando em Ciência Política pela Universidade de Princeton, em Nova Jersey, nos EUA.

[CLIQUE AQUI E LEIA A REPORTAGEM COMPLETA DA BBC BRASIL]



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.