Postado em domingo, 13 de março de 2016 às 16:30

Movimento antigoverno petista é realizada em Alfenas e reúne 300 pessoas, segundo a PM

 Alessandro Emergente

A manifestação antigoverno petista em Alfenas reuniu aproximadamente 300 pessoas, segunda estimativa oficial da Polícia Militar. A manifestação foi realizada na Mão Inglesa (Praça Getúlio Vargas) na manhã deste domingo. Nas críticas, feitas durante os discursos, sobrou até para o governo local por ter aumentado IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

O protesto estava marcada para às 10h da manhã, mas o microfone foi aberto para os manifestantes discursarem por volta das 11h. No meio do público haviam lideranças políticas de partidos de oposição ao PT, porém a organização não permitiu que políticos usassem o microfone.

Além das críticas ao governo petista e de pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff, os manifestantes tiveram discursos variados que vão das críticas ao aumento do IPTU em Alfenas ao subsídio dos vereadores, em torno de R$ 9,6 mil. No final do ano passado, a Câmara Municipal arquivou uma sugestão de iniciativa popular que propunha a redução de seus subsídios.

 

A manifestação na Mão Inglesa foi na manhã de domingo. Em destaque, Juquiel
dos Santos, um dos organizadores (Fotos: Alessandro Emergente)


Em cima do caminhão de som, um dos manifestantes fez crítica a política de transferência de renda adotada no governo petista por meio do programa “Bolsa Família”. Afirmou que 70% do Produto Interno Bruto (PIB) ficam nas mãos do governo e apenas 30% retorna para o setor produtivo e, além disso, grande parte da população é subsidiada através do “Bolsa Família”. “Alguém paga essa conta”, disse o manifestante se referindo ao aumento da tributação.

O programa passou a ser defendido também pela oposição. Durante a campanha eleitoral de 2014, o principal candidato de oposição ao governo, Aécio Neves (PSDB), chegou a defender o programa “Bolsa Família” e propôs que fosse transformado em lei.

Verde e amarelo

Os manifestantes, em sua maioria, usavam roupas verde e amarela, simbolizando as cores da bandeira nacional. Um número menor adotou a expressão “impeachment” em suas roupas. Porém, nos discursos, a menção a saída da presidente Dilma foi predominante.

Pouco antes da organização abrir o microfone, a PM informou que haviam cerca de 200 pessoas no local, já a organização disse que eram cerca de 250. Após o evento, a PM informou que aproximadamente 300 estiveram presentes na manifestação. A reportagem não conseguiu contato com os organizadores após a manifestação para que pudessem informar a estimativa final.

Divisão entre organizadores

Houve uma divisão entre os organizadores e uma outra manifestação, a poucos metros da Mão Inglesa, também foi realizada. Porém, não houve adesão e o local ficou praticamente vazio. O advogado Joselito de Souza (Lito), presidente do PTB em Alfenas, preferiu montar uma estrutura menor na Concha Acústica.

À reportagem, Lito disse discordar de uma manifestação contra o governo do PT tendo dois organizadores que participaram do governo petista em Alfenas até o final do mandato. Referia-se a João Bosco Azevedo e Juquiel dos Santos, que ocuparam cargos comissionados no governo petista. Acusou ainda de ser um evento político, financiado por grupos partidários.

Lito também integrou o segundo mandato petista em Alfenas ao ser nomeado secretário municipal de Turismo e Juventude em janeiro de 2009. Deixou o governo em novembro de 2010 e em janeiro do ano seguinte divulgou uma carta se desligando do grupo petista. Disse, na época, que não havia rompimento político e que estava adotando coerência, uma vez que tinha manifestado apoio ao senador Aécio Neves e ao então governador Antônio Anastasia, ambos do PSDB. 

Ao discursar, Juquiel dos Santos rebateu a informação de que a estrutura, montada na Mão Inglesa, tenha sido financiada por grupos políticos tanto que a organização barrou discursos de políticos e possíveis candidatos. Pouco antes, Azevedo disse que o evento havia tido um custo de R$ 1,2 mil e pediu aos manifestantes que fizessem doações financeiras para o custeio da organização, que incluiu um trio elétrico.

Em março do ano passado, uma manifestação antigoverno foi realizada na Praça Getúlio Vargas e reuniu, segundo estimativa da PM, 250 pessoas. Na época, Lito, Bosco e Santos participaram da organização da manifestação. Porém, em junho daquele mesmo ano, Lito foi acusado de agredir Santos que atuava como funcionário público.

 

Lito também preparou uma estrutura para os manifestantes
na Concha Acústica (Foto: Alessandro Emergente)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.