Postado em terça-feira, 3 de abril de 2018 às 18:06

Polícia Civil indicia açougueiro por homicídio duplamente qualificado

A Polícia Civil indiciou por homicídio duplamente qualificado o açougueiro José da Silva Ferreira, conhecido como “Chute”.


Alessandro Emergente

A Polícia Civil indiciou por homicídio duplamente qualificado o açougueiro José da Silva Ferreira (conhecido como “Chute”), 54 anos, que matou a facadas Fábio Fernandes Esteves, 34 anos. O crime foi na manhã do último dia 24 e chocou os moradores de Alfenas. 

A Polícia Civil considerou que o assassino usou de meio cruel e sem possibilidade de defesa por parte da vítima. De acordo com o delegado Márcio Bijalon, as gravações, que registram o momento do homicídio, foram “imprescindíveis” para formar a convicção apresentada no indiciamento.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima havia vendido cinco cabeças de gado ao açougueiro em outubro do ano passado. Sem receber a quantia devida, Esteves procurou o devedor em duas ocasiões e, na segunda tentativa de receber, houve discussão e a vítima teria dado um tapa no rosto do açougueiro, segundo a versão apresentada pelo autor do crime.

O homicídio foi numa manhã de sábado no bairro Vila Betânia. Em destaque, José Ferreira (Fotos: Corpo de Bombeiros e Reprodução)


Armado com uma faca, Ferreira teria perseguido a vítima pelas ruas do bairro Vila Betânia até alcançá-lo e esfaqueá-lo. As vísceras da vítima ficaram expostas em via pública e imagens do momento do assassinato, ocorrido por volta das 10h da manhã, foram compartilhadas em grupos de whatsapp, chocando os moradores de Alfenas.

A vítima (em destaque) foi morta a facadas (Foto: Reprodução/Facebook e Opharol)


Na versão registrada no boletim de ocorrência, no dia do homicídio, a esposa do açougueiro havia apresentado a versão de que Esteves teria procurado Ferreira para cobrar uma dívida, de R$ 5 mil, pertencente a uma terceira pessoa. Na ocasião, ela também afirmou que a vítima teria dado um tapa no rosto de seu marido.

 

Está preso desde o dia 26


O açougueiro fugiu no dia do crime e, dois dias depois, se entregou à Polícia Civil, que havia pedido a sua prisão temporária. O homem foi ouvido na noite do dia 26 de março e, em seguida, encaminhado ao Presídio de Alfenas, onde permanece à disposição da Justiça. O inquérito policial foi encaminhado para o Ministério Público, que analisará o caso e decidirá pela denúncia ou não do autor do crime.

A pena para quem comete homicídio qualificado é de 12 a 30 anos de reclusão. A conclusão da Polícia Civil, de que houve homicídio duplamente qualificada, está amparada no artigo 121 do Código Penal que específica esse tipo de crime em seu §2°. O inciso III enquadra meio cruel como homicídio qualificado e o inciso IV os casos de assassinato que torne impossível a defesa da vítima.

NOTÍCIAS RELACIONADAS


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.