Postado em quarta-feira, 10 de abril de 2019 às 15:03

Homem foi morto após falsa informação de que era estuprador

O crime foi esclarecido rapidamente e dois homens confessaram o homicídio.


Da Redação

Dois homens foram presos pela Polícia Civil e confessaram ter matado um homem de 60 anos na semana passada. Os acusados disseram ter matado a vítima porque receberam uma informação de que se tratava de um estuprador, acusação que não procede segundo a Polícia Civil.

Os dois homens presos são Adriano Vital da Silva, 30 anos, e Tawan dos Santos, 28 anos. Eles foram detidos na sexta-feira, mesmo dia em que o corpo da vítima, Sebastião Lima, 67 anos, foi encontrado em um terreno, próximo ao Hospital Alzira Velano. O crime ocorreu na noite anterior.

Na última segunda-feira, o delegado Márcio Bijalon, da Divisão de Homicídios, concedeu entrevista coletiva à imprensa para esclarecer o caso. De acordo com a Polícia Civil, Adriano Vital e Tawan Santos haviam recebido, dias antes, uma informação falsa de que a vítima se tratava de um estuprador.

O delegado Márcio Bijalon e o investigador Rômulo Bruno Tarrayar durante entrevista coletiva à imprensa na última segunda-feira (Foto: Reprodução/EPTV)


Na noite de quinta-feira, Santos e Vital atraíram a vítima até um prédio abandonado na avenida Lincoln Westin da Silveira (onde funcionava a unidade do Samu), onde iniciaram o espancamento. Depois, ele foi arrastado para um terreno baldio, que fica do outro lado da avenida, onde foi morto. O corpo foi localizado na manhã seguinte.

Tawan dos Santos e Adriano Vital foram presos pela Polícia Civil. Acima, imagens do terreno onde corpo foi encontrado na manhã de sexta-feira (Foto: Reprodução/Diário Independente)


Em depoimento aos policiais, os dois detidos confessaram o crime e disseram que agiram porque acreditaram que se tratava de um estuprador. Durante a investigação, no entanto, a Polícia Civil não encontrou nenhum registro de estupro ou violência sexual em nome da vítima. “Morreu um inocente, de graça. A verdade é essa. Por uma fofoca. Não achamos nenhum elemento. Eles falaram: ‘Nós já fizemos, agora nós vamos responder pelo que nós fizemos. Mas falaram pra nós que a vítima era um estuprador e resolvemos fazer isso’”, explicou o investigador Rômulo Bruno Tarrayar durante a coletiva na segunda-feira.

O crime foi solucionado rapidamente com a ajuda de câmeras de monitoramento, que gravaram o momento em que os homens detidos atraem a atenção do idoso na avenida José Paulino da Costa. Segundo a polícia, os dois presos são usuários de drogas e eram vistos com frequência perto do local do crime.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.