Postado em quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019 às 21:48

Alunos da rede estadual ficam sem transporte escolar por falta de verbas em Lambari, MG

Segundo secretária, dívida do governo estadual impediu que serviço começasse.


Mais de 2 milhões de estudantes retornaram às aulas em Minas Gerais nesta quinta-feira (7). No entanto, em Lambari (MG), não está sendo fornecido o transporte para os alunos da rede estadual, o que prejudica principalmente os alunos da zona rural. A prefeitura alega não ter dinheiro para o serviço devido aos atrasos dos repasses do governo estadual.

"Hoje essa dívida chega a R$ 6,5 milhões, sendo R$ 6,3 milhões do governo de 2013 a 2018 e uns R$ 400 mil agora do governo atual. Vieram dois repasses do transporte escolar, que somando dá um total de R$ 83 mil, que nós utilizamos para pagar os restos a pagar de 2018 do próprio escolar", disse a secretária de Educação, Rosângela Soares de Souza.

Ainda conforme a secretária, foi prometido aos fornecedores que os valores em atraso serão regularizados em breve.

"Ontem nós tivemos uma reunião com alguns fornecedores que estavam em atraso no final do dia e eles nos disseram que não poderiam continuar se não recebessem pelo menos uma parcela a mais do que nós estávamos devendo, então esse valor foi utilizado para pagar uma parcela para eles e nós prometemos para eles que o primeiro valor que entrar nós vamos arcar com o transporte escolar", completou a secretária.



Para garantir o retorno às aulas no dia 7 de fevereiro, o governo informou que fez um repasse de R$ 48 milhões para as despesas, manutenção dos prédios e principalmente para o transporte dos alunos, que na maioria das cidades é de responsabilidade dos municípios.

A regional de Varginha tem 28 cidades e 54 mil alunos. Somente Lambari não está fornecendo transporte para os alunos da rede estadual.

"Nós já estamos desde ontem à tarde conversando com a Secretaria Municipal, com a prefeitura, para tentar reverter essa situação", disse o superintendente regional de ensino, Erivelton Giovanini Ramos.

Ainda conforme o superintendente, o ritmo das aulas deve seguir normalmente e que a falta de repasse do Estado não deve prejudicar os alunos.

"Os repasses já estão sendo passados para as escolas nesta semana, de manutenção e custeio, de conectividade, então as escolas vão estar começando normalmente o ano letivo com as suas atividades", completou o superintendente.





Fonte: G1 Sul de Minas

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.