Postado em segunda-feira, 29 de janeiro de 2018 às 01:01

Dados da PM apontam queda da criminalidade em Alfenas

Alessandro Emergente

Os dados oficiais da Polícia Militar indicam que houve queda na criminalidade em Alfenas no ano passado. A estatística refere-se ao comparativo dos registros em 2017 com o de 2016. Os dados apontam redução nos índices de diferentes crimes como assalto a comércio e a pedestres, roubos de veículos e até o de furtos.

Se considerada a estatística referente a crimes violentos, a queda foi de 37,4% - caiu de 649 (em 2016) para 406 (em 2017). Nesse tipo de classificação estão incluídos os seguintes crimes: roubo consumado, homicídio consumado e tentado, sequestro e cárceres privado, extorsão mediante sequestro, estupro consumado e tentado, além estupro a vulnerável (consumado e tentado).

O número de crimes violentos caiu 37,4%, segundo os dados oficiais (Fonte: PM)


No caso de Alfenas, são os roubos que puxam a estatística de crimes de violentos para cima, representando mais de 90% do volume dessa categoria. De acordo com os dados, o número de roubos caiu de 627 (em 2016) para 371 (em 2017), o que representa uma redução de 40,8%.

Explicações

De acordo com o comandante do 64˚ Batalhão da Polícia Militar (64˚ BPM), tenente-coronel Márcio Bocher, a maior incidência era de roubos de veículos e de celulares, tendo os pedestres como alvos. No caso de assaltos, tendo veículos como alvos, a redução no período foi de 48% (de 127 caiu para 66). Já os assaltos a pedestres (onde na maioria das vezes o celular é levado pelo bandido) a queda foi de 43% (de 220 para 125).

O comandante da PM durante entrevista na sede do Batalhão da Polícia Militar (Foto: Alessandro Emergente/Alfenas Hoje)


Segundo o tenente-coronel, que foi oficializado no comando do 64˚ BPM em agosto, algumas estratégias foram importantes para impactar nos números da criminalidade. Entre essas estratégias estão as mudanças internas, com o deslocamento de parte dos militares, que atuavam em serviços administrativos, para o policiamento ostensivo.

O comando da PM também lançou mão de estudos de identificação de áreas geográficas com incidência de determinados crimes. Dessa forma, as estatísticas ajudaram a PM a planejar ações mais específicas, dando maior eficiência as operações policiais e patrulhamentos preventivos, que foram intensificados.

Furtos e comércio

Embora não integre a categoria de crimes violentos, os furtos (quando não há emprego de violência ou ameaça) também causam preocupação aos alfenenses. Em 2016 foram 1.268 registros e, no ano passado, 857 (queda de 31,4%). No caso de arrombamentos a residências, a redução foi de 33,5% (reduzindo de 319 para 212).

A estatística revela queda da criminalidade nas diferentes categorias de crime (Fonte: PM)


O número de roubos a comércio sofreu variação significativa: queda de 49,4% - de 190 para 96. Em dezembro, período de vendas para o Natal, houve aumento do efetivo com o deslocamento para as ruas de alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSD), do 64˚ BPM. A ação causou maior sensação de segurança nos comerciantes, conforme revelou uma pesquisa encomendada pela Associação Comercial e Industrial de Alfenas (Acia). Entre os entrevistados, 86,5% aprovaram as medida.

Embora os números da criminalidade tenham caído, uma maior sensação de segurança nem sempre é percebida nos moradores. O comandante da PM diz que tem intensificado a presença policial nas ruas, o que permite ao “cidadão de bem maior sensação de segurança”.

Integração

O Gabinete de Gestão Integrada, que envolve os diferentes órgãos de segurança pública, como Polícia Civil e Guarda Civil Municipal (GCM), é outro mecanismo que vem sendo adotado para combater a criminalidade. Nele, as autoridades do setor trocam informações e planejam ações integradas para reduzir os índices de crime na cidade.

No final de dezembro, durante o Seminário Mais Segurança, realizado na Unifal (Universidade Federal de Alfenas), o delegado Thiago Gomes Ribeiro, responsável pela 2ª Delegacia Regional da Polícia Civil, chegou a mencionar a intensificação das prisões. Foram 109 no ano passado feitas por policiais civis. A ocasião também marcou o lançamento do sistema de monitoramento de entrada e saída de veículos da cidade, o que deverá ajudar na segurança pública.

O secretário municipal de Defesa Social (Seds), Leonardo Vilela, foi procurado, na quarta-feira passada, para comentar sobre as ações colocadas em práticas pelo Município que ajudaram na queda da criminalidade. A reportagem aguardou o secretário até sexta-feira, mas não houve retorno.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.