Postado em terça-feira, 5 de dezembro de 2017 às 11:11

Gerente da Copasa diz que adotará método para reduzir odor do esgoto

Alessandro Emergente

O gerente regional da Copasa, Marco Aurélio Ribeiro, afirmou que a empresa adotará um método experimental para reduzir um problema que tem sido comum em Alfenas: o odor proveniente da estação de tratamento de esgoto (ETE). A fala foi durante o uso da tribuna na Câmara Municipal, na noite de segunda-feira.

Ribeiro disse que, em algumas cidades no Norte de Minas, a empresa tem adotado o uso de uma substância para reduzir o odor, o que tem alcançado resultados positivos. Trata-se da dissolução do peróxido de hidrogênio, que já vem sendo usada em cidades como Salinas e Janaúba.

De acordo com o representante da Copasa, a legislação não específica nenhum parâmetro para medição do odor, mas que – apesar de não haver determinação legal – a empresa adotará esse método experimental. “Não há instrumento legal para medição do odor”, declarou ao anunciar uma dosagem preventiva da substância na ETE de Alfenas com o objetivo de combater o problema.

O gerente regional da Copasa ao usar a tribuna da Câmara Municipal (Foto: Alessandro Emergente/Alfenas Hoje)


O vereador Waldemilson Bassoto (Padre Waldemilson/Pros), autor do pedido para o convite à direção da Copasa, disse que há em Alfenas uma “sensação” de que o esgoto não estaria sendo tratado. Um dos problemas que causa a sensação é exatamente o forte o odor vindo da ETE.

Segundo Gilberto Oliveira de Araújo, técnico da ETE, o tratamento usado em Alfenas é biológico e a biodegradação (decomposição da matéria orgânica) gera a formação do gás sulfrídico (H2S), que causa odores desagradáveis. Segundo ele, alguns procedimentos já têm sido adotados para reduzir esse problema.

Na avaliação da direção da Copasa, a partir de reclamações recebidas, o problema do dor é uma característica que se acentuada num período do ano. Essa fala de Ribeiro foi contestada por Padre Waldemilson.

Momento tenso

O vereador Antônio Carlos da Silva (Dr. Batata/PSB) fez fortes críticas a Copasa e aos órgãos ambientais responsáveis pela fiscalização, como o Arsae (Agencia Reguladora de Serviços de Abastecimento de Agua e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais).

O parlamentar questionou quais providências já foram tomadas para resolver o esgoto não tratado, proveniente da Unifenas (Universidade José do Rosário Velano) e do Zoológico Municipal, que é lançado no córrego Pedra Branca e, na sequência, no Lago de Furnas.

Ribeiro disse que já foram enviados dois ofícios à Unifenas na tentativa de uma solução, mas não houve resposta. Em 2014, a Universidade chegou a ser multada pela Polícia Militar de Meio Ambiente por cometer crime ambiental

Na sequência, Joab Borges da Silva, encarregado em Alfenas, e Gilberto Araújo, técnico da Copasa, que também usaram a tribuna da Câmara Municipal para esclarecimentos sobre a ETE (Fotos: Alessandro Emergente/Alfenas Hoje)


Atualmente, em torno de 90% do esgoto de Alfenas é tratado, segundo o gerente após ser questionado por Kátia Goyatá (PDT). Por conta disso, moradores do bairro Gaspar Lopes, onde não há tratamento de esgoto, pagam 43,75% calculado a partir do consumo de água, o que é referente a coleta e disposição, segundo a Copasa. Os demais moradores pagam 92,5% referente ao tratamento do esgoto.

Os vereadores Tadeu Fernandes (PTC) e Reginaldo Flauzino (PHS) também fizeram um forte discurso contra a ação da Copasa em Alfenas. Flauzino chegou a defender o rompimento do contrato – a concessão teve início em 2003 e tem término em outubro de 2033.

Tadeu chegou a classificar a fala dos representantes da Copasa como “mentira” e exibiu um vídeo, no qual mostrou um alto índice de espuma do Lago. “Tudo o que vocês falaram aí é mentira”, disse. Em resposta, o técnico da empresa disse que a formação da espuma é um efeito comum devido a forte agitação da água após o tratamento.








   
COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.


 

9 Comentários

Comentar essa Notícia
 
Carregar mais comentários
   
Termos e Condições para postagens de Comentários
Comentar essa Notícia










Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos