Postado em sexta-feira, 10 de novembro de 2017 às 08:38

Com Palmeiras e Flamengo de olho, Cruzeiro confia em manutenção de Diogo Barbosa; negócio por Hudson é complexo


Cruzeiro negocia permanência de atletas importantes em 2017: Hudson e Diogo Barbosa

A diretoria do Cruzeiro eleita em outubro - que só assume oficialmente em janeiro - já está trabalhando para manter os jogadores do atual elenco. As principais negociações giram em torno do lateral-esquerdo Diogo Barbosa e do volante Hudson. Segundo apurou o Superesportes, o novo estafe do futebol celeste está confiante na permanência de Diogo Barbosa. Em relação a Hudson, a negociação é vista como complexa.

O Cruzeiro terá de pagar 1 milhão de euros (R$ 3,75 milhões) para o banco BMG caso queira comprar mais 25% dos direitos econômicos do lateral-esquerdo Diogo Barbosa. Conforme estabelecido no fim de 2016, a opção de compra pode ser exercida em qualquer momento do vínculo do atleta, que acabará em dezembro de 2018.

O BMG, contudo, pode negociar o atleta a qualquer momento caso receba uma oferta de 4 milhões de euros. Porém, conforme apurado pela reportagem, o banco só aceitaria vendê-lo por uma proposta superior a 7 milhões de euros.

Flamengo e Palmeiras são os principais interessados na contratação de Diogo Barbosa. Mas as cifras do negócio devem inviabilizar propostas oficiais dos times de Rio de Janeiro e São Paulo. O Cruzeiro acredita que a boa relação com o banco mineiro pode facilitar as tratativas. A ideia dos gestores da Raposa é comprar outros 25% dos direitos do lateral, parcelando em até dez meses.

Titular absoluto da lateral esquerda, Diogo Barbosa fez 58 jogos pelo Cruzeiro em 2017 e marcou um gol.
Hudson
O negócio envolvendo o volante Hudson é mais complexo. Para adquirir 50% dos direitos econômicos, o Cruzeiro precisará desembolsar 1,5 milhão de euros (R$ 5,6 milhões). Diante de uma situação financeira difícil e por causa do grande número de volantes no elenco, há uma corrente dentro da diretoria celeste que acredita que a compra seja inviável. Como Hudson vai completar 30 anos em 2018, a possibilidade de uma venda envolvendo valores vultosos para a Europa cai consideravelmente. Isso é levado em conta pela atual diretoria, assim como os salários do jogador durante os três anos de contrato.

Ainda assim, o Cruzeiro tentará manter o meio-campista no grupo. As conversas com o São Paulo continuam. A diretoria, que tem a opção de parcelar o valor em quatro vezes, poderá incluir algum atleta como moeda de troca. Os nomes estão sendo discutidos.

Hudson, que sofreu lesão muscular na coxa direira, só voltará a jogar em 2018. Ele marcou gols importantes na Copa do Brasil contra São Paulo (vitória por 2 a 0, no Morumbi, pelo jogo de ida da quarta fase) e Grêmio (vitória por 1 a 0, no Mineirão, pelo jogo de volta das semifinais). O volante ainda acertou sua cobrança na disputa por pênaltis diante do Flamengo, em que a Raposa ganhou por 5 a 3 e conquistou o troféu nacional. Caso permaneça na Toca II, deve assinar novo contrato até dezembro de 2020.A diretoria do Cruzeiro eleita em outubro - que só assume oficialmente em janeiro - já está trabalhando para manter os jogadores do atual elenco. As principais negociações giram em torno do lateral-esquerdo Diogo Barbosa e do volante Hudson. Segundo apurou o Superesportes, o novo estafe do futebol celeste está confiante na permanência de Diogo Barbosa. Em relação a Hudson, a negociação é vista como complexa.

O Cruzeiro terá de pagar 1 milhão de euros (R$ 3,75 milhões) para o banco BMG caso queira comprar mais 25% dos direitos econômicos do lateral-esquerdo Diogo Barbosa. Conforme estabelecido no fim de 2016, a opção de compra pode ser exercida em qualquer momento do vínculo do atleta, que acabará em dezembro de 2018.

O BMG, contudo, pode negociar o atleta a qualquer momento caso receba uma oferta de 4 milhões de euros. Porém, conforme apurado pela reportagem, o banco só aceitaria vendê-lo por uma proposta superior a 7 milhões de euros.

Flamengo e Palmeiras são os principais interessados na contratação de Diogo Barbosa. Mas as cifras do negócio devem inviabilizar propostas oficiais dos times de Rio de Janeiro e São Paulo. O Cruzeiro acredita que a boa relação com o banco mineiro pode facilitar as tratativas. A ideia dos gestores da Raposa é comprar outros 25% dos direitos do lateral, parcelando em até dez meses.

Titular absoluto da lateral esquerda, Diogo Barbosa fez 58 jogos pelo Cruzeiro em 2017 e marcou um gol.
Hudson
O negócio envolvendo o volante Hudson é mais complexo. Para adquirir 50% dos direitos econômicos, o Cruzeiro precisará desembolsar 1,5 milhão de euros (R$ 5,6 milhões). Diante de uma situação financeira difícil e por causa do grande número de volantes no elenco, há uma corrente dentro da diretoria celeste que acredita que a compra seja inviável.
Como Hudson vai completar 30 anos em 2018, a possibilidade de uma venda envolvendo valores vultosos para a Europa cai consideravelmente. Isso é levado em conta pela atual diretoria, assim como os salários do jogador durante os três anos de contrato.

Ainda assim, o Cruzeiro tentará manter o meio-campista no grupo. As conversas com o São Paulo continuam. A diretoria, que tem a opção de parcelar o valor em quatro vezes, poderá incluir algum atleta como moeda de troca. Os nomes estão sendo discutidos.

Hudson, que sofreu lesão muscular na coxa direira, só voltará a jogar em 2018. Ele marcou gols importantes na Copa do Brasil contra São Paulo (vitória por 2 a 0, no Morumbi, pelo jogo de ida da quarta fase) e Grêmio (vitória por 1 a 0, no Mineirão, pelo jogo de volta das semifinais). O volante ainda acertou sua cobrança na disputa por pênaltis diante do Flamengo, em que a Raposa ganhou por 5 a 3 e conquistou o troféu nacional. Caso permaneça na Toca II, deve assinar novo contrato até dezembro de 2020.

 

Fonte: Super Esporte

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos