Postado em segunda-feira, 28 de agosto de 2017 às 08:55

Análise: apático, Boa Esporte tem uma das piores atuações na Série B

O problema não foram os quatro gols sofridos pelo Boa Esporte na derrota diante do Oeste na tarde deste sábado (26) na Arena Barueri. O problema foi a forma como os gols aconteceram. A equipe entrou em campo apática, sonolenta e, principalmente, desatenta. Resultado: uma das piores atuações do time nesta edição da Série B.

E a desentação no início do jogo custou caro. Só nos primeiros 25 minutos, saíram três gols. O primeiro, em um pênalti cometido por Ruan ao chegar atrasado em uma disputa de bola com Mazinho. O chute, no rosto do jogador do Oeste, foi de dar inveja a muito lutador de MMA. A cobrança de Raphael Luz foi firme, no meio do gol, para abrir o placar com 5 minutos de jogo.

Depois, aos 12, Lídio arriscou de longe. De muito longe. A bola quicou na linha da pequena área e subiu um pouco, enganando Fabrício. É um daqueles lances que não dá para culpar realmente o goleiro, mas que também sempre vai ficar a sensação de que poderia ter sido defendido. Já o terceiro gol, aos 24 minutos, não há dúvidas: dava mesmo para ter segurado a bola. Fabrício falhou, e ela sobrou tranquila para Raphael Luz fazer mais um.

Ou seja, 24 minutos de jogo, três gols em lances que poderiam ser evitados. O time sentiu, e muito, a ausência de Escobar na organização e na cobertura defensiva na intermediária. Radamés, o substituto, não teve uma grande jornada e acabou dando lugar a Léo Bartholo ainda no intervalo.

Nem o gol de Thaciano, também em um erro individual, dessa vez do zagueiro Leandro Amaro, do Oeste, serviu para melhorar a situação do Boa Esporte na partida. O time criou muito pouco ofensivamente e quase não ameaçou o gol do Rubrão.
No segundo tempo, os erros voltaram a se repetir. Fabrício, em uma tarde para esquecer, ainda apareceu bem para evitar que Danielzinho ampliasse e depois para fechar o ângulo em chute de Mazinho, mas o que estava ruim ficou ainda pior quando Ruan deu um carrinho por trás e acabou expulso. Nedo Xavier tirou Casagrande e colocou Léo Baiano para recompor o setor, sacrificando a última oportunidade de mexer no time.

O quarto gol do Oeste saiu já no fim, em um penâlti no mínimo duvidoso, já que a falta começou fora da área, mas a jogada mesmo mostra a desorganização do Boa na partida, já que era Thaciano quem estava acompanhando o atacante paulista em um contra ataque em que o sistema defensivo estava em desvantagem.

Enfim, parece que a grande vitória sobre o Ceará na última rodada pode ter subido um pouco à cabeça dos jogadores, mas foi realmente a apatia que custou mais caro ao Boa Esporte na tarde de sábado. Agora, com um intervalo de duas semanas para a próxima rodada, é colocar os pés no chão e trabalhar duro para retomar o bom futebol.
 

 

Fonte: G1 Sul de Minas

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos