Postado em domingo, 7 de fevereiro de 2016 às 16:40

Preço da cesta básica de alimentos em Alfenas sobe mais de 13% e chega a R$ 393

 Alessandro Emergente

A cesta básica de alimentos subiu 13,47% em 12 meses e atingiu o valor de R$ 393,55 em janeiro. O levantamento foi feito por uma pesquisa do Nampe (Núcleo de Apoio à Micro e Pequena Empresa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

O aumento de 13,47% informado pela pesquisa refere-se a comparação com o mesmo período do ano anterior. Ou seja, esse aumento representa a alta acumulada em 12 meses.

A inflação fechou 2015 com a maior alta em 13 anos. O crescimento da inflação, registro pelo IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo), medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi de 10,67%, bem acima do teto da meta do governo, que era de 6,5%.

Em janeiro, a inflação voltou a subir, segundo o índice oficial do governo, o IPCA, em 1,27%. O resultado foi divulgado na última sexta-feira, dia 5. A alimentação e o transporte foram os principais responsáveis pela alta no primeiro mês de 2016.

Alimentos em alta

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo, da última sexta-feira, mostra que o clima instável foi um dos vilões. No Sul do país, as fortes chuvas e alta temperatura influenciaram os preços de forma negativa para o consumidor, que sentiu no bolso o resultado.

A alta no preço dos alimentos atingiu principalmente os alimentos comprados em supermercados e feiras, um crescimento de 2,89%. Enquanto isso, quem faz a opção por restaurantes, bares e lanchonetes sentiu menos a pressão sobre os preços – uma alta de 1,12%. Esses dados nacionais são do IBGE.

O vilão do preço

Em Alfenas, o grande vilão do preço em janeiro foi o tomate, com uma alta de 114,8%, revela a pesquisa Nampe. Na feira livre, onde o preço costuma ser mais barato, o quilo do tomate chegou a custar R$ 7. A batata (31,6%), as frutas (29,3%) e o açúcar (9,6%) também pressionaram para cima o preço da cesta básica em Alfenas.

O resultado do aumento da cesta básica de alimentos, segundo a pesquisa do Nampe, é a queda do poder de compra dos consumidores de Alfenas em 5,93%. O custo da alimentação representou, em janeiro, 49,9% do salario mínimo, cálculo que mede o poder de compra. A pesquisa é realizada por meio de uma parceria do Nampe com a Unifenas (Universidade José do Rosário Velano).








   
COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.


 

39 Comentários

Comentar essa Notícia
 
Carregar mais comentários
   
Termos e Condições para postagens de Comentários
Comentar essa Notícia










Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos