Postado em terça-feira, 22 de maio de 2018 às 07:07
Atualizada em terça-feira, 22 de maio de 2018 às 16:21

Ossada humana, localizada em Alfenas, revela sinais de execução

Mais um corpo com sinais de execução foi localizado pela Polícia Civil no bairro Gaspar Lopes, em Alfenas.


Da Redação

Mais um corpo com sinais de execução foi localizado pela Polícia Civil no bairro Gaspar Lopes, em Alfenas. Dessa vez, praticamente apenas a ossada da vítima foi localizada, caracterizando o estágio avançado de decomposição. O local é o mesmo onde um jovem foi encontrado enterrado na semana passada

De acordo com o delegado Márcio Bijalon, em entrevista à emissoras de televisão da região, os sinais caracterizam “claramente” que foi uma execução. A suspeita é que seja mais um julgamento do crime organizado. O corpo foi encontrado na tarde de segunda-feira.

A vítima foi localizada com uma corda amarrada no pescoço e os braços amarrados para trás. O modus operandi e a proximidade do local onde outro corpo foi localizado na semana passada aponta para a suspeita de que a execução tenha sido praticada pelo mesmo grupo criminoso.

A identificação do corpo só será confirmada com um exame de DNA. A Polícia Civil investiga casos de desaparecimentos na cidade e já tem um suspeito de quem seria a vítima. Uma entrevista coletiva à imprensa será concedida na manhã desta terça-feira para prestar mais esclarecimentos sobre o caso.

Em Tempo

Na manhã desta terça-feira, em entrevista coletiva concedida ao Alfenas Hoje e a EPTV, o delegado regional Thiago Gomes e Ribeiro e o delegado Márcio Bijalon, responsável pela Divisão de Homicídios, revelaram que a suspeita é que o corpo encontrado seja de Bruno de Oliveira Custódio da Silva, 23 anos.

Os delegados Thiago Ribeiro e Márcio Bijalon durante a entrevista coletiva (Foto: Alessandro Emergente)


Custódio é acusado de esfaquear e matar o próprio primo em novembro do ano passado. O rapaz foi indiciado pelo homicídio e desde então está foragido.

Segundo Bijalon, a blusa, encontrada com o cadáver, foi reconhecida por um parente como semelhante a do rapaz. Porém, a confirmação dependerá do exame de DNA, que deve ficar pronto em dois ou três meses, segundo a Polícia Civil.

Ainda de acordo com o delegado, pelo estágio avançado de decomposição do corpo, ele acredita que o rapaz possa ter sido vítima de uma execução há quatro ou cinco meses. Novas buscas no terreno, onde os corpos foram encontrados, serão realizadas pela Polícia Civil que não descarta que o local seja utilizado para ocultação de vítimas do crime organizado.

Dois homens são apontados como executores do assassinato do adolescente, encontrado na semana passada. Um deles já está preso e o segundo é considerado foragido.


Abaixo, confira um vídeo, gravado pelo repórter Juquiel do Santos, do OPharol, no momento em que o corpo foi localizado pela Polícia Civil.

 



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.