Postado em quarta-feira, 26 de junho de 2013 às 02:46

Sem carteira e embriagado, motorista atinge motoqueiro

Sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e embriagado, um motorista atingiu uma moto na esquina da rua Tiradentes com a rua Alferes Domingos Vieira Silva.


Da Redação

Álcool e volante. Mais uma vez a mistura que não combina terminou em acidente. Sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e embriagado, um motorista atingiu uma moto na esquina da rua Tiradentes com a rua Alferes Domingos Vieira Silva por volta de 11h45 desta terça-feira.

O motorista de um VW Voyage, que transitava pela rua Alferes Domingos Vieira Silva, não respeitou a parada obrigatória e avançou na esquina, atingindo uma moto Yamaha YBR 125k, que transitava pela rua Tiradentes. A moto seguia do centro em direção ao bairro Jardim São Carlos, enquanto o veículo estava na direção centro-bairro.

O motociclista teve ferimentos na perna esquerda e foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Universitário Alzira Velano (HUAV).

No momento do acidente, os policiais perceberam fortes sinais de embriaguez por parte do motorista do Voyage. O homem caminhava cambaleante, a fala desconexa, além do cheiro de bebida alcóolica, que foi percebido pelos PMs. 

 Motoqueiro foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Alzira Velano 

Ao ser submetido ao teste do bafômetro, o exame comprovou a embriaguez. O resultado acusou 1,18 mg/l de álcool ingerido, superior ao limite permitido pela legislação, que é de 0,05 mg/l.

Em janeiro, o Conselho Nacional de Trânsito publicou uma resolução que tornou mais rígidos os índices máximos de álcool para motorista flagrado dirigindo após beber. O limite para que o condutor não seja multado passou de 0,1 miligramas de álcool por litro de ar para 0,05 mg. A infração é classificada como gravíssima e o valor da multa é de R$ 1.915,40, além de o motorista ficar impedido de dirigir por um ano.

Além da embriaguez, o motorista não possui a CNH e não estava com o documento obrigatório do veículo, a CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de veículos). O motorista acabou preso.

O motociclista também não possui CNH e só não foi preso por ter ficado em observação médica. Os dois veículos foram removidos para o pátio do guincho credenciado.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.