Postado em quarta-feira, 16 de setembro de 2020 às 09:09

Cafés produzidos no Sul de MG concorrem a prêmio internacional de qualidade

Produtos produzidos na região fazem parte da Denominação de Origem Mantiqueira de Minas, com 30 lotes, e mais 14 lotes de outros pontos do Sul de MG.


Amostras de café produzidas no Sul de Minas concorrem ao Cup of Excellence - Brazil 2020, principal concurso de qualidade do mundo para cafés especiais. Elas estão na fase nacional do concurso e agora buscam chegar à internacional. Na região, os produtos cultivados na chamada Denominação de Origem Mantiqueira de Minas e em outros pontos sul-mineiros estão na disputa.

Ao todo são 100 amostras de todo o Brasil, sendo que 52 são das regiões sul e sudeste de MG. Elas serão reavaliadas entre os dias 3 e 5 de outubro em um hotel de Varginha (MG), em um espaço que permitirá o recebimento de mais juízes e juízas na Fase Nacional, uma vez que a flexibilização permite a vinda de novos profissionais.

“O café é dessa safra e essa qualidade eu considero que existem dois motivos principais: o clima fantástico que tivemos durante toda ela e o alto nível de profissionalização que estão adotando os produtores de café no Brasil”, destacou Vanusia Nogueira, diretora da BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais em português).

Os 35 cafés melhores colocados, que obtiverem nota igual ou superior a 87 pontos, serão classificados para a fase internacional, quando concorrerão aos 25 postos de vencedores do Cup of Excellence - Brazil 2020, consagrando-se como os melhores cafés especiais brasileiros da safra atual.

As amostras que forem eleitas vencedoras ganham o direito de participar de um leilão internacional, via internet. Já os cafés que obtiverem nota entre 86 pontos até o 25º ganhador, serão considerados "Vencedores Nacionais" da competição e também estarão à disposição para aquisição em uma plataforma de venda na internet.

"Na Fase Nacional, manteremos o rígido protocolo de prevenção à Covid-19 que foi empregado na pré-seleção, com todos os juízes se higienizando e mantendo o distanciamento recomendado pelas organizações de saúde. Na etapa internacional, também como medida preventiva, não teremos deslocamento dos juízes para o Brasil. Os lotes que se classificarem serão enviados pela BSCA a grupos de especialistas em importantes países compradores, como Japão, Austrália, Noruega, Estados Unidos, China, Inglaterra, Coreia do Sul, além do próprio Brasil, que farão a análise final, elegendo nossos campeões", disse Vanusia.

Regiões

Os cafés especiais qualificados para a Fase Nacional representam 11 regiões produtoras do país, com destaque para a Denominação de Origem Mantiqueira de Minas, que terá 30 amostras na segunda etapa nacional do concurso.

Na sequência, vêm Matas de Minas e Sul de Minas, com 14 lotes cada; Chapada Diamantina (BA), com 13; Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com 10; Campo das Vertentes (MG), com seis; Montanhas do Espírito Santo, com cinco; região da Alta Mogiana em Minas Gerais, com três, e Indicação de Procedência da Alta Mogiana (SP), com um; além de Média Mogiana (SP) e Caparaó (MG), com dois cada.

“O café é dessa safra e essa qualidade eu considero que existem dois motivos principais: o clima fantástico que tivemos durante toda ela e o alto nível de profissionalização que estão adotando os produtores de café no Brasil”, comentou Vanusia Nogueira sobre o café brasileiro.


Fonte G1



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

     
     
     
     

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Ok, eu aceito