Postado em sexta-feira, 4 de outubro de 2019 às 07:07

Comportamento e forma de vestir influenciam imagem profissional e carreira

Em tempos de recessão econômica, tão difícil quando conseguir um emprego é manter-se nele e evoluir profissionalmente...


Em tempos de recessão econômica, tão difícil quando conseguir um emprego é manter-se nele e evoluir profissionalmente. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de desemprego no Brasil caiu para 11,8% no segundo trimestre de 2019. Mesmo assim, o país ainda tem 12,6 milhões de brasileiros de desempregados, além de e 11,5 milhões sem carteira assinada. Segundo cálculos da consultoria GO Associados, de São Paulo, entre 2015 e 2016, 7 pessoas eram demitidas a cada minuto.

Por isso, nada mais importante que usar de todas ferramentas possíveis para manter-se no emprego e até mesmo evoluir no ambiente profissional. E o marketing pessoal é uma delas.

O marketing pessoal é um conjunto de ações que têm o objetivo de qualificar a imagem de um profissional, demonstrando suas competências e habilidades pessoais e profissionais perante o mercado.

A importância do marketing pessoal está justamente em garantir que as pessoas percebam as qualidades e os diferenciais frente aos demais. Além do comportamento, atitudes domo a forma de falar, tratar as pessoas e até mesmo de se vestir, são apenas alguns dos componentes que ajudam a moldar a imagem de um profissional.

Dress code no ambiente profissional

O dress code é um código que indica a maneira mais adequada para se vestir em determinada ocasião, seja no ambiente de trabalho, de estudo ou em eventos sociais. A padronização visual da roupa é considerada um facilitador na hora de escolher o traje mais adequado para cada situação.

Apesar de hoje em dia não haver mais espaço para qualquer tipo de restrição e preconceito, toda empresa tem o direito de levar em conta aspectos como o comportamento ou a forma de vestir ao contratar um profissional. No ambiente corporativo, a adequação da imagem do colaborador à organização é algo apreciado por muitos empresários, visto que ele se torna um representante da marca e nada mais indicado que siga certas regras.

Até mesmo em alguns ambientes de lazer, como por exemplo em festas de gala, casamentos e em torneios esportivos, é comum haver uma padronização na forma de vestir. Mesmo sem ser uma exigência, até mesmo os jogadores façam uso do dress code no poker, principalmente em alguns cassinos mais famosos dos Estados Unidos e da Europa, onde vestir-se como um profissional faz com que os demais competidores enxerguem o jogador como um adversário à altura.

A máxima “Vista-se para o trabalho que você quer, não para o trabalho que você tem” continua em alta. Ainda que muita gente já comece a se questionar se é possível trabalhar sem dress code, o código de roupas de cada ambiente, o fato é que a imagem e o marketing pessoal continuam influenciando a carreira no ambiente corporativo. Afinal, segundo estudos de neurociência, 30 segundos são o suficiente para que alguém forme uma opinião a respeito sobre outra pessoa. Em uma entrevista de emprego, esse fator pode ser crucial e decisivo na decisão final do RH.

E o mercado comprova essa teoria. De acordo com uma pesquisa pela empresa de recrutamento de trabalho temporário Office Team, a maioria dos executivos acredita que a roupa usada no trabalho influencia as chances de uma promoção. O levantamento, que falou com mil gerentes sêniores americanos, mostrou que 80% acredita nisso, ainda que esse número tenha caído ao longo dos anos. Em 2007, esse era o pensamento de 93% dos entrevistados.

Apesar dos costumes terem mudado muito nos últimos anos, vestir-se adequadamente é de grande importância para quem quer evoluir profissionalmente no o mundo corporativo. Por isso, é fundamental escolher a roupa adequada para utilizar no ambiente de trabalho. Por mais que muitos já não considerem isso tão importante, a verdade é que, além do comportamento e qualificação, o modo como o profissional se veste também é avaliado.

Nesse cenário, o dress code continua em alta. Ainda que muitas empresas tenham flexibilizado esse guia de vestimentas ou que não tenham uma lista de peças e roupas indicadas, o mercado segue de olho em profissionais que sabem se vestir bem no trabalho. Usar peças adequadas ao dia a dia da empresa faz com que a integração do profissional aconteça mais rápido e afeta inclusive na produtividade. Afinal, estar de terno e gravata em uma reunião com executivos faz sentido, mas o mesmo não se encaixa em uma startup, por exemplo.

 

Fonte: Exame



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.