Postado em quarta-feira, 23 de janeiro de 2019 às 19:07

Prefeitura anuncia vinda de cooperativa que deve gerar até 50 empregos de imediato

A inauguração da unidade Coopercitrus deve ocorrer até o final de março, segundo o governo.


Alessandro Emergente

A Coopercitrus (Cooperativa de Produtores Rurais) deverá se instalar em Alfenas até o final de março e a expectativa é que gere, de imediato, até 50 postos de trabalho. Um galpão no Distrito Industrial será locado para instalação de uma loja varejista de insumos do setor agrícola, área de atuação da cooperativa que pretende gerar, em dois anos, um total de 170 empregos.

O anúncio do investimento foi feito pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, que articula a vinda da cooperativa para Alfenas com uma proposta de subsidiar o aluguel do galpão após o sétimo mês de funcionamento na cidade. No entanto, o subsídio oferecido pelo governo precisará de autorização legislativa.

Segundo o secretário Carlos Miguel dos Anjos (Desenvolvimento Econômico), um projeto de lei, com a solicitação para que a Câmara Municipal dê o aval para que a Prefeitura assuma o aluguel do galpão, ainda será encaminhado ao Legislativo. O subsídio seria válido por dois anos como forma de incentivo.

No Distrito Industrial

A unidade da Coopercitrus será instalada no Distrito Industrial, num galpão onde funcionava a empresa Café Fino Sabor. O local tem 10.450 m² de área, sendo 2.163 m² de área construída, espaço que será readequado pela cooperativa pelos próximos dois meses. Serão três etapas de expansão gradual das atividades num período de dois anos.

A Coopercitrus vai se instalar no Distrito Industrial até março (Foto: Alessandro Emergente)


Na semana passada, representantes da Coopercitrus estiveram em Alfenas para a acertarem os últimos detalhes para locação do imóvel por um valor de R$ 15 mil mensais. Após o sétimo mês, o valor subirá para R$ 18 mil/mês, segundo o governo.

De acordo com o secretário municipal, que tem conduzido as negociações, não há incentivos fiscais, além do subsídio do aluguel por um período de dois anos a partir do sétimo mês de instalação da unidade em Alfenas.
Faturamento de R$ 3,2 bi

A Coopercitrus tem sua sede em Bebedouros (SP) e concentra as suas atividades no interior de São Paulo e nas regiões do Triângulo e Sul/Sudoeste de Minas Gerais. A expectativa é expandir para Goiás. A unidade em Alfenas será a 69ª loja de insumos agrícolas, segundo informações do governo.

Da esquerda para a direita, o engenheiro Júlio Cesar Vianna, o assistente de manutenção Rogério Balbin, o secretário Carlos Miguel dos Anjos e o coordenador de engenharia Evair Barbosa Silveira. A equipe técnica da Coopercitrus se reuniu com o governo no gabinete do prefeito Luiz Antônio da Silva (Luizinho/PT) na semana passada (Foto: Divulgação)


A área de atuação é diversificada e inclui – além das lojas de insumos - shoppings rurais, revenda de máquinas agrícolas, armazéns de café e de açúcar, silos graneleiros, fábricas de ração, postos de combustíveis e lojas de conveniências, além de unidades de beneficiamento de sementes.

O faturamento da Coopercitrus chegou a R$ 3,2 bilhões em 2017. Em oito anos o número de cooperados saltou de 17.780 para mais de 34 mil cooperados.

Currículos

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, por meio do Sistema Nacional de Emprego (Sine), está recebendo currículos de interessados no processo de seleção feito pela Coopercitrus. Esses currículos serão remetidos à cooperativa, responsável pela contratação. O Sine está localizado na rua Manoel Pedro Rodrigues (n° 120), no centro de Alfenas, e os currículos devem ser entregue das 8h às 17h de segunda a sexta-feira.

Grupo Cata

Em janeiro do ano passado, o Grupo Cata, proprietário da Cata Tecidos e Embalagens Ltda, acertou a instalação de uma unidade em Alfenas, mas a implantação da unidade não se efetivou. A Câmara Municipal chegou a autorizar o governo a reformar e locar o galpão da Saliba para instalação da nova empresa mediante a geração de, no mínimo, 146 empregos diretos. A expectativa, no entanto, era gerar 300 novos postos de trabalho. 

O prazo para o benefício terminou em agosto do ano passado, data limite estipulada na autorização legislativa. As negociações com o governo estadual, para obtenção de incentivos fiscais, emperraram. Além disso, a incerteza com a mudança no cenário político fez com que a empresa recuasse no plano de investimentos.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.