Postado em quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Vai fazer o Enem? Saiba como agir na véspera das provas

Será que remédio ajuda na preparação?....


 Faltando pouco tempo para o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, que começa no próximo domingo, dia 4 de novembro, é importante que os estudantes saibam controlar a ansiedade para não terem o desempenho prejudicado. "O estudante que é ansioso vai ter dificuldade de se concentrar, interpretar e de ter atenção porque o pensamento dele é marcado pela aceleração e não está na prova, e sim no futuro", comenta a psicóloga Cintya Carvalho, do Centro Universitário Farias Brito, de Fortaleza (CE).

De acordo com a espeiclaista, algumas ações devem ser evitadas nos dias que antecedem o Enem. É recomendável que os candidatos evitem dormir tarde; revisar conteúdo, em especial na véspera das provas; pensar em compromissos futuros ou em acontecimentos passados. Tais medidas contribuem para manter o foco.

O principal conselho é buscar atividades que distraiam e sirvam como momento de aliviar a tensão. Vale assistir a um filme, ir ao teatro, passear no shopping ou sair com os amigos. O primordial é estar em paz consigo mesmo.

Nesse sentido, a família é peça-chave no aspecto emocional do aluno. Cabe aos pais, tios, avós, irmãos, primos e outros, o papel de apoiar o estudante e garantir que, independentemente do resultado da prova, eles estarão sempre juntos. "O aluno precisa se sentir apoiado, elogiado e estimulado pela família. É lá onde ele tem que encontrar uma fonte de segurança", destaca a psicóloga.

Alimentação

Além de estar tranquilo e com os estudos em dia, é importante que os candidatos estejam atentos à alimentação na reta final de preparação. O consumo irregular de alimentos às vésperas do Enem pode impactar negativamente nos resultados. O essencial é evitar ficar muitas horas sem comer ao longo do dia.

"Ficar com o estômago vazio pode ocasionar taxas de hipoglicemia no sangue, que é a concentração baixa de glicose. Isso ocasiona sonolência, dificulta a concentração e pode provocar em alguns indivíduos tontura, queda na pressão arterial, fraqueza e dores de cabeça", esclarece a nutricionista Fabiana Belini, da mesma instituição de ensino.

Dentre as dicas da especialista, a principal é evitar a ingestão de alimentos pesados – como feijoada, por exemplo – porque são mais difíceis de serem digeridos. O ideal é optar por alimentos integrais e proteínas magras, assim como frutas, legumes e cereais, uma vez que colaboram para o fornecimento adequado de energia ao organismo.

Outro "vilão" dos estudantes é a bebida energética. O uso desses aditivos não é recomendável, pois podem gerar taquicardia, alteração da pressão ou hiperglicemia. "Isso deixa o estudante extremamente ansioso, agitado e irritado, o que pode prejudicar na interpretação dos itens", diz a nutricionista.


Fonte:revistaencontro