Alfenas Hoje - Câmara confirma a aprovação de quatro novos projetos
Postado em sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 às 03:02

Câmara confirma a aprovação de quatro novos projetos

Alessandro Emergente

Quatro projetos de lei, aprovados na sessão legislativa anterior, foram confirmados pelo plenário na noite de quinta-feira (14). A reunião semanal da Câmara Municipal foi realizada excepcionalmente na quinta devido ao feriado de carnaval. 

Dois vereadores estiveram ausentes e dos presentes nenhum foi contrário as propostas que estavam na pauta de votação. Vagner Tarcísio de Morais (Guinho/PT) e Evanílson Pereira de Andrade (Ratinho/PHS) não compareceram a reunião de quinta-feira.

Apesar da reunião ter sido realizada na quinta-feira, novamente a plateia foi ocupada por um grande número de pessoas que assistiram a sessão que durou cerca de 50 minutos.

Entre as propostas aprovadas - e que agora vão ser encaminhadas para que o prefeito Maurílio Peloso (PDT) possa sancioná-las – está a que fixa o piso salarial dos servidores municipais. O novo piso foi definido devido ao aumento do salário mínimo que passou a valer R$ 678 em janeiro. 

Fotos: Alessandro Emergente

Vereadores aprovaram quatro requerimentos e quatro projetos

Atualmente o piso do funcionalismo municipal é de R$ 660, porém ele não pode ser inferior ao salário mínimo. A medida atingirá 80 servidores (classificação DAS I) e a estimativa de impacto orçamentário-financeiro na folha de pagamento deverá ser de R$ 13,3 mil mensais o que representa 0,30917%. 

Outro projeto confirmado é o que autoriza a instituição da “Casa do Idoso”, direcionada a pessoas a partir de 60 anos em situação de vulnerabilidade e risco social. A proposta apresentada pelo vereador Waldemilson Gustavo Bassoto (Padre Waldemilson/PT) difere do modelo de asilo e prevê o funcionamento das atividades de segunda a sexta-feira.

Outros dois projetos de lei, aprovados em segunda votação, determinam alterações técnicas. Um modifica anexos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012, a partir da qual foi elaborado o orçamento do município para 2013. O outro altera o plano plurianual, aprovado em 2009, válido para o quadriênio 2010 a 2013.

Requerimentos

Além destes projetos, quatro requerimentos foram aprovados. Um deles, apresentado pelo vereador Antônio Carlos da Silva (Dr. Batata/PSB), solicita à prefeitura o encaminhamento dos últimos cinco decretos municipais que aumentaram a tarifa do transporte urbano. Requer ainda os estudos de impacto orçamentário que embasaram os decretos.

Os vereadores Padre Waldemilson (PT), Hemerson Lourenço de Assis (Sonzinho/PT), José Carlos de Morais (Vardemá/PT) e Dr. Batata (PSB) compareceram a reunião com camisetas com o simbolo do Atlético/MG após a vitória sobre o São Paulo um dia antes

Em outro requerimento, o vereador Paulo Agenor Madeira (Paulinho do Asfalto/PRTB) solicita o envio à Câmara informações sobre a reforma do Parque Municipal. Hesse Luiz Pereira (PSDB) apresentou dois outros requerimentos: um solicita relação de produtores de alimentos cadastrados pela Vigilância Sanitária com base no Serviço de Inspeção Municipal da Economia Solidária (Simes). 

O outro requerimento, apresentado pelo vereador tucano, requer os balancetes demonstrativos de receitas e despesas municipais do período de abril a dezembro do ano passado. Onze indicações também foram apresentadas durante a sessão.

Tribuna Livre

O professor Messias Simão Telecesqui, da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), usou a tribuna da Câmara Municipal para solidarizar com o servidor público municipal que continua sem receber o 13˚ salário. Além disso, Maurílio não sinalizou nenhuma data para o pagamento.

Telecesqui afirmou que quem deve ao funcionalismo é a prefeitura rebatendo o argumento de que a dívida é de responsabilidade da gestão passada. Criticou a classificação técnica “restos a pagar” feita pelo atual governo. “É como resto. Se sobrar (dinheiro) paga”, lamentou.

O professor Messias Simão Telecesqui usou a tribuna da Câmara em defesa do funcionalismo

O professor citou que há fontes as quais o governo pode recorrer para captar recurso para o pagamento dos servidores. Deu como exemplo a Caixa Econômica Federal.

O representante da CTB lembrou que os servidores estão sofrendo com o atraso e que muitos deles tiveram o fornecimento de energia elétrica cortado por falta do pagamento. Lembrou que o comércio também sofre o impacto, uma vez que o dinheiro, referente ao 13˚ salário do funcionalismo, deixou de circular na economia local.

O professor também pediu aos vereadores da oposição que se manifestem e pressionem o prefeito para que faça o pagamento. Em apoio a categoria, Telecesqui participou de uma passeata do funcionalismo no último dia 8 de fevereiro, quando os servidores mantiveram indicativo de greve. 

O vereador Jairo Campos (Jairinho/PDT), que integra o partido do governo, sugeriu um requerimento verbal da Câmara Municipal endereçado ao prefeito para a resolução do problema. 

O líder do prefeito na Câmara Municipal, Francisco Rodrigues da Cunha Neto (Prof Chico/PDT), disse que a agonia é válida e que os vereadores da base governista estão preocupados. Afirmou, porém, que não haverá demora no pagamento.








   
   
COMENTÁRIOS

29 Comentários


Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.


Comentar essa Notícia
 
 
 
 
Carregar mais comentários
   
   
   
Termos e Condições para postagens de Comentários
Comentar essa Notícia










  • FOI NOTÍCIA
  • Últimos Comentários

Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2018 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos