Postado em quarta-feira, 16 de maio de 2012 às 03:23

Professores da Unifal entram em greve a partir desta quinta

Alessandro Emergente

Os professores da Unifal (Universidade Federal de Alfenas) decidiram entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir de quinta-feira (17). A deliberação foi tomada em assembleia na tarde desta terça-feira e foi aprovada por ampla maioria.

De acordo com o professor Cláudio Umpierre Carlan, representante do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) na comissão de greve, nesta quarta-feira à tarde a comissão se reúne para definir estratégias durante o período de greve. A ideia é promover um movimento integrado com a sociedade o que inclui aulas públicas.

A paralisação faz parte de um movimento nacional articulado pela Andes (Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior). A Unifal é a 35ª universidade a aderir a paralisação que já inclui instituições como a Ufla (Universidade Federal de Lavras).

Dos 102 professores que compareceram à assembleia desta terça-feira, 86 votaram favoráveis a adesão à greve. Somente sete se posicionaram contrários, além de nove abstenções.

No mês passado, os professores já haviam aprovado um indicativo de greve. Eles reclamam que o governo federal não estaria cumprindo um acordo firmado em agosto do ano passado que inclui a reestruturação do plano de carreira.

Outros dois itens reivindicados são a incorporação de uma das gratificações dos rendimentos ao salário-base da categoria e a reposição salarial de 4%. Pelo acordo firmado entre a Andes e o governo federal a reposição de 4% deveria ter sido feita em março.

Medida Provisória

A reposição salarial de 4% está prevista na Medida Provisória (MP) nº 568/2012, enviada pela presidenta Dilma Rousseff ao Congresso Nacional. Segundo Carlan, a MP inclui também a incorporação de uma gratificação ao salário-base, mas deixa de fora a proposta de reestruturação da carreira.

Em entrevista, no mês passado, o vice-presidente da Adunifal (Associação dos Docentes da Unifal), prof. Carlos Tadeu Siepierski, disse que os 4% estão abaixo da reivindicação inicial da categoria. Porém, o percentual foi aceito diante do comprometimento do governo federal em promover uma agenda de discussões, que não avançaram.

Atualmente, segundo Carlan, o salário-base de um professor universitário federal representa de 30% a 40% de seus rendimentos. O restante é composto por outras duas gratificações que não são incluídas no cálculo da aposentadoria. A proposta é incorporar uma dessas duas gratificações ao salário-base.

O texto da MP nº 568/2012 foi publicado na segunda-feira (14) no Diário Oficial da União. A MP, segundo o Ministério do Planejamento, substitui o projeto de Lei 2.203/2011, enviado ao Congresso em agosto do ano passado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.