Postado em quinta-feira, 6 de dezembro de 2018 às 11:37

Brasil é 1º país a ter sucesso em tipo de transplante de útero: menina nasce saudável!


 Pela primeira vez no mundo, um bebê nasceu a partir de transplante de útero de uma doadora morta. O fato inédito aconteceu no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, na capital paulista, em dezembro de 2017 e agora foi noticiado por uma revista científica.

Transplante inédito de útero acontece no Brasil

O caso único foi relatado em estudo publicado na revista “The Lancet” na última terça-feira (4). No relatório, consta que, em setembro de 2016, uma mulher de 32 anos, que tinha nascido sem útero por conta da síndrome Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, recebeu o órgão, no HC da USP, de uma doadora de 45 anos que havia morrido. O ocorrido abre mais uma possibilidade para mulheres com dificuldade de engravidar.

Após o transplante, o embrião foi transferido para o útero doado em um intervalo de sete meses pós-procedimento - sendo bem sucedido.

Nas tentativas anteriores, a espera para transferir um embrião para o órgão era de um ano. Além da espera curta para a efetividade da gravidez, o caso também chama a atenção pelas ligações de vasos realizadas: foram duas artérias e quatro veias (duas veias a menos do que em casos anteriores). Outro ponto foi o tempo que o útero ficou sem oxigenação durante o transplante: 7 horas e 50 minutos, o maior apontado.

Durante a gravidez da brasileira receptora não foi registrado nenhum tipo de rejeição ao órgão e em 15 de dezembro de 2017 a mulher deu à luz uma menina em uma cesariana. Na ocasião, o útero foi removido do corpo da mãe também.

Antecedentes do transplante

O primeiro transplante de útero bem sucedido no mundo aconteceu na Suécia, em 2014; na América Latina, em 2016, aqui no Brasil.

Até o momento, foram relatados 11 nascimentos de bebês de um total de 39 procedimentos no mundo feitos a partir da doação de órgãos de mulheres que estavam vivas.

O atual caso brasileiro difere-se pela doadora ter falecido e, então, seu útero ter sido doado e ter resultado em uma gravidez bem sucedida.

Anteriormente, na Turquia, houve a tentativa de transplante similar, entretanto a mulher receptora do órgão doado acabou perdendo o bebê.

 



Fonte:Vix