Postado em segunda-feira, 8 de outubro de 2018 às 09:42

Empreendedorismo no Brasil: afinal, ainda vale a pena empreender no país?

O empreendedorismo no Brasil é uma realidade um tanto quanto recente. Parece que, nos últimos anos, essa realidade tem se transformado por uma série de fatores e por movimentos da sociedade e do mercado que favoreceram esse tipo de ação....


 O empreendedorismo no Brasil é uma realidade um tanto quanto recente. Parece que, nos últimos anos, essa realidade tem se transformado por uma série de fatores e por movimentos da sociedade e do mercado que favoreceram esse tipo de ação. Em primeiro lugar, é preciso entender o que é o empreendedoriasmo. Além disso, ele se dá por motivos diferentes em cada lugar do mundo, mais uma vez influenciado por questões políticas e socio-econômicas.

O que é empreendedorismo no Brasil?

A definição geral de empreendedorismo envolve questões como a capacidade de ter novas ideias e gerar desenvolvimento econômico, um espírito forte de inovação e uma disposição real ao aprendizado. Sim, porque, se há algo que quem pratica empreendedorismo no Brasil precisa estar disposto é a aprender.

Há obstáculos e oportunidades que precisam ser identificados no caminho e, assim, serem motores para trilhar o caminho de um negócio.

Surgimento de instituições fortalecem empreendedorismo no Brasil

Como dissemos antes, o conceito de empreendedorismo no Brasil é recente.

Um dos principais marcos da introdução desse conceito no Brasil é o surgimento de instituições como o Sebrae, na década de 1990. Foi um grande marco para o empreendedorismo no Brasil.

Devido ao surgimento do Sebrae, foi possível aumentar a disseminação de informação e o fomento de espíritos empreendedores em pessoas que não necessariamente tivessem forte poder econômico e de investimento.

Como resultado dessa iniciativa, chegamos aos tempos atuais com um saldo muito positivo do empreendedorismo no Brasil.

O Brasil é um dos países que está no topo do ranking de empreendedorismo no mundo.

Situação político-econômica: influências

É importante ressaltar que foram poucos os períodos extremamente favoráveis ao empreendedorismo no Brasil. O surgimento do Sebrae, no início dos anos 90, se deu em meio a um momento de forte recessão econômica.

Mesmo assim, em outros momentos, outras questões também se mostraram obstáculos. O que não mudou foi o crescimento dos números com relação ao empreendedorismo e à abertura de novas empresas. Mas, afinal, como explicar esse fenômeno do empreendedorismo no Brasil?

Algumas ideias podem ser úteis. Ao mesmo tempo em que crise é um problema, também não deixa de ser oportunidade. Consequentemente, períodos de forte recessão econômica tendem a ter um aumento do empreendedorismo de necessidade.

O empreendedorismo de necessidade é aquele em que o profissional, por não ver saída no mercado formal, decide abrir seu próprio negócio. A dificuldade dessa modalidade é que o percentual de empresas que fecha antes de completar cinco anos em razão da falta de planejamento é muito grande.

Parece que, pela necessidade imediata de ter uma fonte de renda, o planejamento fica em segundo plano.

Como resultado, se veem empresas com grande potencial, mas com dificuldades primárias de gestão. Não por falta de vontade, mas de conhecimento.

Empreendedorismo no Brasil: como aproveitar as oportunidades?


O empreendedorismo de necessidade é uma das vertentes. No segmento oposto está o empreendedorismo de oportunidade, que é aquele em que há um planejamento maior das ações e, com isso, uma atenuação do risco de falência.

É importante destacar que, embora estejam em posições relativamente antagônicas nessa análise, os dois tipos de empreendedorismo podem se complementar.

Isso ocorre porque, segundo pesquisas, um dos maiores sonhos dos brasileiros é ter o seu próprio negócio. Parece que, por natureza, o Brasil tem a vocação de empreender. Talvez, em alguns momentos, possa acontecer o casamento perfeito entre necessidade e oportunidade.

É nessa ocasião que pessoas que se prepararam com antecedência podem unir o útil ao agradável e, assim, prosperar no mercado competitivo.

Startups

Um dos exemplos mais claros de empreendedorismo de oportunidade é a ascensão das startups.

Jovens empreendedores de todo o país têm investido seu conhecimento e tempo no desenvolvimento de produtos rentáveis e úteis, mas que dependem de investimento.

Esse modelo de negócio já existia há bastante tempo fora do país, mas tem ganhado destaque do empreendedorismo no Brasil.

O surgimento cada vez maior de startups é mais um dos indicativos da vocação brasileira para empreender. Em feiras do segmento, pode-se encontrar milhares de ideias prontas e muito bem formatadas que dependem apenas do investimento para se tornarem realidade. Provavelmente, com o tempo, essas ideias tendem a se multiplicar ainda mais e gerar mais oportunidades.

A mulher e o empreendedorismo no Brasil

Segundo informações da Revista Exame (que você pode conferir no link https://abr.ai/2BLNuwv), de acordo com o levantamento mundial Global Entrepreneurship Monitor 2017, mais de 50% dos negócios abertos em 2016 foram por mulheres.

A partir dessa informação, entende-se que há um equilíbrio entre o empreendedorismo masculino e feminino. A diferença é que, em geral, as mulheres empreendedoras têm maior escolaridade em relação a homens do mesmo segmento. A concentração desses empreendimentos está, sobretudo, no setor de serviços.

A matéria da Exame destaca também os impactos do empreendedorismo feminino na sociedade em geral. Para a revista, as mulheres que empreendem contribuem para o crescimento do país porque também transmitem esse conhecimento a suas famiílias. Como resultado, há uma tendência a termos pessoas mais informadas e capazes de contribuir para o universo empreendedor.

Como se preparar?

O empreendedorismo no Brasil ou em qualquer lugar do mundo depende muito de preparação.

Para isso, é preciso ter em mente que será necessário ter um objetivo claro e que possa ser dividido em metas. Mesmo que você tenha a ideia mais inovadora do mundo, será muito difícil colocar em prática se você não puder dividi-la e quantificá-la. Como resultado, será possível tornar o processo de busca do objetivo algo mais palpável nesse processo de empreendedorismo no Brasil.

Além do planejamento de objetivo, é importante se planejar financeiramente. Mesmo que o negócio não pareça demandar grandes investimentos iniciais, é importante ter alguma reserva para emergências. Procure contemplar até mesmo os detalhes mais ínfimos que parecem não ter impacto algum. Acredite. No final, farão diferença.

O que falta para melhorar o cenário

Parece que, uma das melhores saídas para evitar o fracasso de novas empresas é a preparação. A formação do profissional desde muito jovem é importante para dar conta das milhares de demandas que o mercado deve impor na implantação e na continuidade do negócio.

Mesmo que não seja possível investir frequentemente em cursos de capacitação, hoje há informação gratuita e de muita qualidade que pode ser acessada a qualquer tempo. A internet conta com milhares de artigos, infográficos, vídeos e uma série de influenciadores que compartilham experiência e visão de mercado. Basta procurar nos locais certos e se dedicar, que o conhecimento virá.

Nesse artigo, apontamos 5 livros que todo empreendedor deveria ler e que pode ajudar no empreendedorismo no Brasil. A literatura sobre o tema é vasta. Mas mais que isso: é importante que um empreendedor leia de tudo. Uma visão empreendedora depende de conhecimento amplo sobre tudo que pode ser útil em um negócio. E as variáveis são muitas.

Apoio de instituições

Além de todo o material disponível e os cursos específicos voltados para o empreendedor, ainda existem instituições capacitadas para ajudar. O Sebrae, por exemplo, auxilia pequenos empresários há muito tempo com aquilo que é mais necessário: informação e conhecimento.



Fonte:Salão de Gramado