Postado em quinta-feira, 14 de junho de 2018 às 10:10

Meu filho não dorme, e agora? dicas de sono para o bebê

 Acho que não tem coisa que afeta mais nossos bebês (e nós também!) do que a dificuldade com o sono. O sono do bebê é muito diferente do dos adultos, e entender melhor como o sono dos bebês funciona irá ajudar a criar um ambiente tranquilo, desde o início. Muitas vezes não sabemos como ajudar os bebês a dormir e acabamos até “atrapalhando” o processo…

Como ajudar o bebê a dormir e PERMANECER dormindo tranquilamente? Isso é possível?

Algumas técnicas surgiram da experiência contínua de ”colocar” os bebês para dormir e fazer com que eles assim permaneçam tranquilamente, vamos a elas?

Dormir, assim como, comer não é um estado que podemos forçar o bebê a fazer, mas sim algo que deve acontecer naturalmente. Assim, o melhor que podemos fazer é criar um ambiente aconchegante e tranquilo que leve o bebê a esse estado.

Atitude positiva sobre o sono

Um objetivo realista a longo prazo para ser colocado é que o bebê tenha uma atitude saudável sobre o sono, ou seja, que seja um estado agradável de se entrar e um estado seguro de se permanecer.

Bebês de até 6 meses precisam dormir bastante, geralmente com intervalo médio de duas horas entre as sonecas, entretanto eles resistem a isso! Mas essa resistência deve ser superada, pois apesar de não desejarem dormir é necessário para seu crescimento e desenvolvimento. A mãe ou cuidador podem ajudar na superação dessa resistência propiciando um lugar tranquilo para dormir, assim como, uma rotina de sono.

Colocar o bebê para dormir antes que ele fique super cansado evita problemas como os despertares múltiplos a noite ou a exaustão no momento de iniciar o ritual do sono da noite, esse ainda mais importante.

Seja flexível no momento de colocar o bebê para dormir

Tente desenvolver um estilo que funcione com você e com seu bebê, lembre-se de que nem toda abordagem funciona com todos os bebês! Por isso, sinta-se livre para descobrir qual o ritual e rotina de sono que mais se aproxima com a sua realidade.

Bebês tem um ciclo de sono mais curto, comparado com os adultos, e passam mais tempo em sono leve, o famoso sono REM, este tipo de sono é aquele em que acumulamos conhecimentos, formamos memória e o sono que nos auxilia no aprendizado. Por isso, acordam mais vezes que nós, pois apesar desse soninho ser tão benéfico, é um sono de despertar fácil.

Por isso, seja flexível na hora de por o seu bebê para dormir, lembre-se que nem sempre aquela técnica que sua amiga usa com o bebê dela irá funcionar com o seu, e não espere que o seu bebê durma a mesma quantidade de sono que o filho da vizinha (ele sempre parece dormir mais!). Entenda o seu bebê e respeite o tempo dele.

Ritual de sono

É o conjunto de ações rotineiras que a mamãe realiza, sempre na mesma ordem, e que sinaliza para o bebê que é hora de dormir. Por exemplo: jantar, banho, mamar, ler um livro, dormir. Outro exemplo: jantar, banho, massagem de shantala, mamar, mamãe/papai põe na caminha, canta uma música e o bebê adormece.

Dessa forma, o bebê entende que chegou a hora de dormir, pois ao praticar essas mesmas ações na mesma ordem, mesmo que seja por outra pessoa, transmite ao bebê uma idéia de relaxamento e segurança, e ele compreende que é hora de dormir. O ritual de sono pode ser implementado tão logo os pais estejam adaptados à rotina da casa, após os primeiros dias (insanos) de um bebê recém nascido em casa.

As dificuldades com as sonecas


Não tem jeito, as sonecas geralmente são um ponto crítico, pois mesmos bebês que dormem bem a noite, tem dificuldade de fazer sonecas durante o dia…Imagine que durante o dia o bebê está exposto a milhares de estímulos interessantes, e seu cérebro está “bombando” de novas informações, isso é natural que aconteça.

Então apesar das dificuldades, tente reduzir toda sua ansiedade com o momento das sonecas, isso pode auxiliar no sono diurno do seu bebê e fazer com que ele se torne mais frequente e menos cansativo para ambos.

Mesmo que o seu bebê chore assim que te ver entrar no quarto, aguente firme, respire e prossiga. Esse quadro de choro é muito comum, principalmente por volta dos 4 meses, os bebês começam a perceber quando vão dormir e não querem, porque desejam estar participando de tudo que a mamãe está envolvida.

Essa situação acaba estressando a mães, de fato, pois já sabem que a ausência de uma soneca pode tornar o fim da tarde e início da noite extremamente cansativos, o que chamamos de efeito vulcão ou “a hora da bruxa”.

O bebê na verdade, está tão cansado e exausto, que tem dificuldade de desligar. Pensa num dia de trabalho intenso, super agitado, mas na hora em que você deita na cama e fecha o olho o sono não vem? Isso também acontece com os bebês… Tente fazer assim: o bebê chorou, gritou, ficou zangado, saia do quarto, brinque com ele mais 10 minutos e tente de novo, num outro ambiente também mais calmo.

Se possível tenha dois ambientes para a soneca, acostume o bebê em pelo menos 2 ambientes para as sonecas. Quando ele recusar um, tente outro.


É difícil? É. É intenso? É. Parece insano às vezes, e nos sentimos como zumbis? Sim. Imagina para um bebê que não sabe dormir, que quer ficar do seu ladinho sem perder nenhum momento. Também é difícil. Mas essa caminhada, todos teremos que trilhar. Espero que as dicas tenham ajudado a noites de sono mais tranquilas, que mais cedo ou mais tarde, virão.






Fonte: pediatriadescomplicada