Postado em segunda-feira, 9 de abril de 2018 às 09:09

Com 22 mortes no ano, homens são as principais vítimas de afogamentos no Sul de Minas

Pelo menos 23 casos de afogamentos já foram registrados em rio e lagos do Sul de Minas em 2018. E, segundo um levantamento feito pelo G1 no primeiro trimestre do ano, os homens são as principais vítimas deste tipo de ocorrência, representando quase inteiramente o número de mortes.

De acordo com o levantamento, 22 vítimas foram homens, enquanto apenas uma mulher morreu afogada entre janeiro e março. Este único caso aconteceu quando uma embarcação com nove pessoas, todas sem colete salva-vidas, virou no Lago de Furnas.


"As ocorrências acontecem em maior número com homens porque o homem acha que ele pode atravessar o rio, que ele consegue pular de uma altura maior. Esse espírito de aventura faz com que os homens sejam as vítimas mais potenciais para esses afogamentos", diz o tenente Ilenildo Prata de Paula.

Entre os homens, as vítimas têm as mais diversas características e idades. O mais novo, um menino de 8 anos, se afogou enquanto nadava com amigos na Lagoa da Banana, em Pouso Alegre. O mais velho, com 78 anos, estava pescando com a filha quando caiu de um local conhecido como Ponte do Dique, em Boa Esperança.

O município, aliás, lidera esta espécie de ranking negativo, com quatro afogamentos nos primeiros meses do ano. Os outros três aconteceram no Lago de Furnas, mas novamente não há um padrão entre as vítimas.O primeiro a se afogar foi um pescador de 59 anos, que caiu enquanto pescava em um residencial às margens do lago. O segundo foi um adolescente de 16 anos que nadava com um grupo de amigos após eles soltarem a estrutura de um píer do local. O terceiro foi um homem de 52 anos que teria caído no lago quando passava pela região.

Outros municípios que se destacam na região pelo número de vítimas são Pouso Alegre, Varginha, São Sebastião da Bela Vista e Ribeirão Vermelho, com dois afogamentos cada.

Afogamentos por municípios em 2018


Número de casos Cidades

 

  • 4 Boa Esperança
  • 2 Pouso Alegre, Varginha, São Sebastião da Bela Vista e Ribeirão Vermelho
  • 1 Santana do Jacaré, Poços de Caldas, Delfinópolis, São João Batista do Glória, Jacutinga, Claraval, Ouro Fino, Divisa Nova, Itapeva e Baependi, Cristais.


Com isso, a região registrou uma média de um afogamento a cada quatro dias, sendo que o Lago de Furnas concentrou cinco das mortes. O Rio Grande é o segundo da lista, com outras três ocorrências. Na última delas,dois primos foram as vítima.Na ocasião, o o Corpo de Bombeiros contou que os jovens não sabiam nadar.

"Os homens se arriscam também porque querem se mostrar para as pessoas, as mulheres que estão no local. São eles que muitas das vezes fazem uso excessivo de bebidas alcoólicas", comenta o tenente, sem se referir ao caso em si.

Cuidados 


De acordo com o Corpo de Bombeiros, algumas medidas podem ser tomadas para evitar que casos como esse se repitam. Confira algumas dicas:

  • se fez uso de bebidas alcoólicas, não entre na água.
  • se for entrar, que fiquem às margens, não vá para o meio.
  • obedeça às placas de sinalização.
  • se tiver socorro, esteja nadando perto deles
  • não salte de locais altos.
  • use coletes sempre que recomendado.

 

 

Fonte:G1