Postado em terça-feira, 26 de dezembro de 2017 às 09:46

Em meio a rumores, Cruzeiro nega retorno do atacante Ricardo Goulart

 No dia 2 de janeiro, o Cruzeiro completará 97 anos. E o torcedor celeste espera como presente a chegada do ídolo Ricardo Goulart, do Guangzhou Evergrande, da China. A expectativa aumentou nos últimos dias, quando jornalistas garantiram a proximidade de um acordo entre o atleta e o clube mineiro.

Héverton Guimarães, da Band, tuitou sobre conversas há mais de 30 dias entre diretoria e jogador. Já Leopoldo Siqueira, da TV Alterosa, disse que o Cruzeiro espera fechar ainda nesta segunda-feira a contratação do atacante.

Em contato com o Superesportes, o Cruzeiro descartou essa possibilidade. “Chance zero neste momento”, disse o vice de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, sobre a possibilidade de Goulart voltar a vestir a camisa estrelada no início de 2018. Em seguida, Itair usou o Twitter para esclarecer o caso.

Com contrato até janeiro de 2020, Ricardo Goulart, de 26 anos, tem um dos salários mais elevados da China – gira em torno de R$ 2 milhões. A pedida salarial poderia inviabilizar o negócio. O Guangzhou também seria um dificultador. O clube não aliviou nem para o Barcelona, que tentou um preço menos salgado por Paulinho. O depósito da multa acabou sendo inevitável. O Barça pagou 40 milhões de euros, o equivalente a R$151 milhões, pelo ex-volante do Corinthians. Em tese, não faria sentido, agora, o Guangzhou liberar o melhor jogador em atividade na Ásia sem uma boa compensação financeira.

O desejo de Goulart, contudo, é voltar ao Brasil. Recentemente, o atacante falou publicamente sobre a intenção de deixar o futebol chinês. Ele está no Guangzhou desde 2015, quando foi vendido pelo Cruzeiro por 17 milhões de euros – R$ 54 milhões na cotação da época. O atacante ganhou três edições da Superliga Chinesa (2015, 2016 e 2017), uma Copa da China (2016), duas Supercopas (2016 e 2017) e uma Liga dos Campeões da Ásia (2015).

Em entrevista ao canal Fox Sports em novembro deste ano, o atacante demonstrou carinho pelo Cruzeiro, clube no qual conquistou o bicampeonato brasileiro, e prometeu conversar com a Raposa quando voltasse ao país. “Quando penso em voltar para o Brasil, primeiramente vou voltar para o Cruzeiro, ao qual sou muito grato. Depois que voltar, é outra conversa”, frisou.

Mas a chegada de outro atacante não parece ser a necessidade mais urgente do elenco do Cruzeiro. Para o setor ofensivo, a Raposa conta com uma vasta lista de jogadores: Robinho, Thiago Neves, Rafinha, Rafael Sobis, Judivan, Fred, Sasá, Raniel e Arrascaeta, entre outros. Recém-contratado, Fred vai elevar a folha salarial. O ex-jogador do Atlético ganhava R$ 800 mil no rival e chega ao clube celeste com o mesmo patamar salarial. Empresários vão ajudar no pagamento do centroavante.

Ricardo Goulart também foi procurado por Flamengo e Palmeiras, os dois clubes mais endinheirados do Brasil. Assim, em um possível retorno do atacante, o Cruzeiro teria forte concorrência.

Como jogador da Raposa, Ricardo Goulart disputou 106 partidas e marcou 38 gols. Ele foi peça fundamental para o bicampeonato nacional, sobretudo na segunda conquista, quando foi eleito Bola de Ouro da Revista Placar. No título de 2014, Goulart balançou a rede 15 vezes em 26 apresentações.





Fonte: Super Esporte