Postado em terça-feira, 31 de outubro de 2017 às 08:35

Cruzeiro empata no Allianz Parque e breca arrancada do Palmeiras no Brasileiro

Robinho marcou belo gol aos 19min do segundo tempo, mas Cruzeiro acabou cedendo o empate



O Cruzeiro brecou a arrancada do Palmeiras no Campeonato Brasileiro ao empatar por 2 a 2 na noite desta segunda-feira, no Allianz Parque, em São Paulo. No jogo que encerrou a 31ª rodada da competição, o time celeste esteve por duas vezes à frente do placar, com gols de Juninho (contra) e Robinho. O alviverde buscou a igualdade nos pés do colombiano Borja, responsável pelos dois tentos.

No fim das contas, o Corinthians foi quem comemorou muito o resultado. Derrotado nesse domingo pela Ponte Preta por 1 a 0, no Moisés Lucarelli, o time comandado por Fábio Carille, que soma 59 pontos, corria o risco de ser ultrapassado no confronto direto da 32ª rodada. Contudo, o Palmeiras atingiu 54 pontos ao empatar com o Cruzeiro e não poderá assumir a liderança mesmo se vencer o maior rival no próximo domingo, às 17h, no Itaquerão.

Já o Cruzeiro, que mantém o objetivo de terminar bem o Campeonato Brasileiro, voltou a somar ponto depois de duas derrotas seguidas e recuperou o quinto lugar, agora com 48 pontos. Também no domingo, às 17h, no Mineirão, a Raposa pegará o Atlético-PR. O técnico Mano Menezes não poderá contar com o volante Lucas Romero, que está suspenso. O zagueiro Murilo, substituído nesta segunda-feira por causa de dores no joelho esquerdo, será reavaliado.
O jogo

O Cruzeiro não tinha tantas pretensões na partida, pois está distante da liderança e já garantiu a vaga na Copa Libertadores de 2018 por intermédio do título da Copa do Brasil. Diferentemente do Palmeiras, que só dependia das próprias forças para assumir a liderança do Brasileiro. Para isso, precisaria superar o time celeste nesta segunda-feira e o Corinthians no clássico de domingo. Nesse cenário, o alviverde atingiria 59 pontos e levaria vantagem no número de vitórias.
Mas a multidão no Allianz Parque ganhou uma ducha de água fria logo aos 5min de jogo. E num lance fortuito. Diogo Barbosa foi acionado pelo lado esquerdo e tentou o cruzamento rasteiro. Aparentemente, era uma jogada tranquila para a defesa palmeirense, mas o zagueiro Juninho se atrapalhou no momento de cortar a bola e marcou contra: 1 a 0.

Foi o único bom momento do Cruzeiro na etapa inicial. Depois disso, não houve um ataque sequer. A equipe, aliás, passou a primeira etapa inteira sem chutar a gol. O Palmeiras foi quem controlou as ações e tomou conta da bola no campo ofensivo – chegou a ter 63% de posse. Aos 34min, Egídio recebeu passe de Moisés, buscou a linha de fundo e cruzou para Dudu, que tentou concluir de calcanhar. Fábio fez boa defesa, mas Murilo perdeu a dividida na sobra e Borja estufou as redes: 1 a 1. Pouco depois, o colombiano viria a marcar o segundo gol, mas o árbitro Heber Roberto Lopes assinalou falta sobre o zagueiro Manoel.

A postura extremamente recuada do Cruzeiro na etapa inicial deu lugar a um jogo mais organizado no segundo tempo. O time celeste viu que era possível conter a pressão do adversário rodando a bola no ataque. Os frutos dessa mudança começaram a ser colhidos aos 3min, quando Arrascaeta passou nas costas de Egídio e obrigou Fernando Prass a fazer boa defesa. Aos 8min, foi a vez de Rafinha arriscar de longe, após saída errada de Prass. O goleiro se recuperou a tempo e efetuou a defesa. O Palmeiras respondeu aos 12min em chute de Keno: Fábio caiu no canto direito e espalmou.

Aos 17min, Mano Menezes mudou o panorama da equipe ao colocar o meia Robinho, recuperado de lesão, no lugar do inoperante Rafael Marques. O efeito da substituição veio à tona dois minutos depois, quando Arrascaeta deu ótimo lançamento para o camisa 19, que tocou por categoria por cima de Prass e fez 2 a 1 para o Cruzeiro. Aos 21min, Arrascaeta poderia ter marcado o terceiro, mas Mayke afastou o perigo quase em cima da linha.

Aos 25min, Mano Menezes fez outra alteração: trocou Arrascaeta pelo volante Lucas Silva. Só que as consquências da decisão tomada por questões físicas não foram favoráveis à equipe. Sem velocidade no ataque, o Cruzeiro ficou extremamente recuado e chamou o Palmeiras para cima. A defesa celeste se segurou por muito tempo, com cortes providenciais de Digão e Manoel e boas defesas de Fábio. Aos 40min, porém, não teve jeito: após arremesso lateral de Róger Guedes por cima de Diogo Barbosa, Dudu conduziu a bola até a linha de fundo e cruzou para Borja, que ajeitou na grande área e balançou a rede mais uma vez: 2 a 2. O Verdão ainda tentou a virada na reta final, mas parou em intervenções de Fábio e não conseguiu o resultado que precisava para alcançar o Corinthians no domingo.


PALMEIRAS 2X2 CRUZEIRO


PALMEIRAS
Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena (Luan, aos 40min do 2ºT), Juninho e Egídio; Jean (Róger Guedes, aos 20min 2ºT), Tchê Tchê e Moisés; Keno (Deyverson, aos 34min do 2ºT), Dudu e Borja
Técnico: Alberto Valentim

CRUZEIRO
Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo (Digão, aos 6min do 2ºT) e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Rafinha e Thiago Neves; Arrascaeta (Lucas Silva, aos 25min do 2ºT) e Rafael Marques (Robinho, aos 17min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes

Gols: Juninho, contra, aos 5min do 1ºT. Robinho, aos 19min do 2ºT (CRU); Borja, aos 34min do 1ºT e aos 40min do 2ºT (PAL)
Cartões amarelos: Lucas Romero, aos 28min do 1ºT. Robinho, aos 32min do 2ºT (CRU)
Motivo: 31ª rodada do Brasileiro
Estádio: Allianz Parque, em São Paulo
Data: segunda-feira, 30 de outubro de 2017
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Thiaggo Americano Labes (SC)
Assistentes adicionais: Célio Amorim e Edson da Silva (SC)
Público: 37.961
Renda: R$ 2.832.058,34


Fonte: Super Esporte

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos