Postado em sexta-feira, 27 de outubro de 2017 às 13:01

Motorista que atropelou vendedor de picolé é indiciado por homicídio

Alessandro Emergente

O motorista que atropelou e matou um vendedor de picolé, em junho, foi indiciado pela Polícia Civil pelo crime de homicídio culposo. A Polícia concluiu que Douglas José Nogueira, 38 anos, motorista que atropelou e fugiu do local, agiu com imprudência e negligência, causando o acidente e fugindo em seguida sem prestar socorro.

De acordo com o delegado Márcio Bijalon, responsável pela Divisão de Homicídios, além de agir com imprudência e com negligência, o motorista não tinha permissão para dirigir já que a sua habilitação estava vencida e tinha sido recolhida.

O motorista foi indiciado, segundo o delegado, pelo crime de homicídio culposo, quando uma pessoa mata outra sem a intenção, ou seja a culpa é inconsciente. As causas do homicídio culposo são norteadas pela negligência, imprudência ou imperícia. O homicídio culposo está previsto no artigo 121 (§ 3º) do Código Penal Brasileiro.

A vítima, de 68 anos, deixou uma filha e três netos (Fotos: Arquivo/Corpo de Bombeiros e Reprodução)


No inquérito policial, foi considerada a omissão de socorro e fuga do local do acidente de trânsito. Nogueira só se apresentou à Polícia uma semana após atropelar e matar a vítima, o vendedor de picolé Jose Francisco de Silva, de 68 anos. A vítima deixou uma filha e três netos, que ajudava a sustentar vendendo picolé. 

O atropelamento foi no dia 11 de junho, um domingo. O idoso conduzia um carrinho de picolé e ao atravessar a rua foi atropelada na esquina da rua Antônio Bruzadelli com a rua Florentino José Ribeiro, no Vila Betânia. Uma das testemunhas ainda viu o motorista do veículo fugindo a pé após abandonar o carro no local.

Apesar da forte suspeita de que o motorista estava embriagado, ele responderá a acusação formal em liberdade. Isso porque, com a fuga do local, o motorista não foi submetido ao teste de etilômetro (que mede a ausência ou o percentual de álcool no organismo). Sem a materialidade da prova, Nogueira permanecerá em liberdade. “Infelizmente, a lei de trânsito é muito branda em relação a tais crimes”, comentou o delegado.

O motorista foi indiciado por homicídio culposo (Foto: Reprodução/Rede Mais)


Logo após o atropelamento, policiais militares, durante diligências, conseguiram contato telefônico com os pais do motorista. Esses fizeram uma ligação telefônica para Nogueira, deixando a ligação no viva voz. Durante a conversa por telefone, os PMs orientaram o motorista a se apresentar. No entanto, ele teria respondido que não se apresentaria a polícia, pois havia ingerido bebida alcoólica. Essas informações constam no boletim de ocorrência.

De acordo com a Polícia Militar, na época, esse mesmo motorista foi preso, em janeiro deste ano, por dirigir embriagado.








   
COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.


 

4 Comentários

Comentar essa Notícia
 
Carregar mais comentários
   
Termos e Condições para postagens de Comentários
Comentar essa Notícia










Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos