Postado em quinta-feira, 26 de outubro de 2017 às 08:32

A chance de chegar: antes de enfrentar ameaçados, Atlético encara times do G7 para manter vivo o sonho da Libertadores.


Nos próximos jogos, Oswaldo de Oliveira reverá dois clubes pelos quais passou: Botafogo e Santos

A 10ª posição no Campeonato Brasileiro não desanima os jogadores do Atlético. Mais distante da zona de rebaixamento - oito pontos separam o time alvinegro do Vitória, 17º colocado -, a equipe concentra energias no objetivo de conquistar uma vaga na Copa Libertadores da América de 2018. E as duas rodadas seguintes da competição podem ser fundamentais. Afinal, os próximos adversários ocupam lugares no tão sonhado G7.

A partir das 17h deste domingo, o Atlético receberá o Botafogo, no Independência. O time carioca vive grande fase: possui a melhor campanha do returno do Brasileirão e vem de vitória sobre o líder Corinthians, no Nilton Santos.

Além da dificuldade natural de encarar o sexto colocado da competição (47 pontos contra 41 dos mineiros), os comandados do técnico Oswaldo de Oliveira terão de bater um adversário que, nos últimos anos, tem sido uma ‘pedra no sapato’ do clube.

Afinal, o Botafogo venceu mata-matas seguidos contra o rival de domingo: quatro Copas do Brasil (2007, 2008, 2013, 2017) e duas Sul-Americanas (2008 e 2011). Apesar disso, o Atlético aposta no bom retrospecto recente em Belo Horizonte para manter o momento de ascensão na temporada.

Tanto faz o adversário. A gente só precisa ganhar. Quem for, seja fora ou dentro de casa, sempre temos a mentalidade de ganhar. A gente está treinando, concentrado para o jogo de domingo. São pontos importantes contra o Botafogo, avisou Otero, que luta para permanecer no time após ser titular contra o Cruzeiro, no clássico disputado no último domingo.
A perseguição ao líder Corinthians se intensificou nos últimos jogos. Colado no segundo colocado Palmeiras (ambos com 53 pontos), o Santos também luta pelo título nacional, que não conquista desde 2004. À época, Robinho, atualmente no Atlético, comandava o time praiano.

A equipe mineira encara o Santos daqui dois finais de semana. No sábado, dia 4 de novembro, às 17h, a Vila Belmiro será palco da partida, que promoverá outros dois reencontros marcantes: Oswaldo de Oliveira reverá o time que comandou em 2005 e em 2014; Leandro Donizete terá o Atlético, clube que defendeu entre 2012 e 2016, como rival.

A partida pode fazer com que os mineiros “segurem” outro adversário que ocupa posições à frente na tabela. Afinal, os chamados ‘duelos de seis pontos’ dão espaço para confrontos diante de times que brigam para escapar do rebaixamento à Série B.

Os ameaçados.

No dia 9 de novembro, uma quinta-feira, o Atlético recebe no Independência um rival praticamente ‘morto’ no Campeonato Brasileiro. O Atlético-GO é o lanterna da competição, com apenas 26 pontos - oito a menos que o Avaí, primeiro time fora do Z4. No segundo turno, os goianos até conseguiram ensaiar uma recuperação, freada após quatro partidas seguidas sem vitória.

Em seguida, o adversário é o Bahia, outro time que tem como principal objetivo se manter na Primeira Divisão. O time do técnico Paulo César Carpegiani segurou o Palmeiras fora de casa, derrotou o líder Corinthians e, apesar de revés contra o Flamengo, vive grande momento após derrotar o arquirrival Vitória na Fonte Nova.

A sequência até o fim

29 de outubro, às 17h: Atlético x Botafogo, no Independência
4 de novembro, às 17h: Santos x Atlético, na Vila Belmiro
9 de novembro, às 20h: Atlético x Atlético-GO, no Independência
12 de novembro, às 18h: Bahia x Atlético, na Arena Fonte Nova
15 de novembro, às 21h45: Vasco x Atlético, no São Januário
19 de novembro, às 19h: Atlético x Coritiba, no Independência
26 de novembro, sem horário definido: Corinthians x Atlético, na Arena
3 de dezembro, sem horário definido: Atlético x Grêmio, no Independência

 

Fonte: Superesportes

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos