Postado em sexta-feira, 20 de outubro de 2017 às 08:24

Reuniões públicas apresentam estudos e planos para recuperação de sub-bacias no Território Norte.

O Governo de Minas Gerais, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), a Fundação Banco do Brasil e a Prefeitura de Brasília de Minas finalizam, nesta quinta-feira (20/10), ação para apresentar a execução de estudo e plano de recuperação ambiental da sub-bacia do Córrego do Paracatu, no Território Norte.
Para tanto, foram programadas duas reuniões públicas: uma em Brasília de Minas, realizada na quarta-feira (19/10); e outra em Porteirinha, nesta quinta-feira.

O objetivo das reuniões é dar transparência à execução de um convênio, entre a Emater-MG e os parceiros da iniciativa, no valor de R$ 380,5 mil, sendo R$ 259 mil da Fundação Banco do Brasil e contrapartida de R$ 121 mil da Emater-MG. Confirmado em cerimônia de assinatura, na sede da empresa, em fevereiro deste ano, o convênio também inclui obras que vão beneficiar o Córrego da Velha em Araçuaí e o Córrego da Fumaça, em Porteirinha.

“Esta é uma forma de prestação de contas públicas. É um processo de transparência que envolve apresentar o trabalho não apenas para as comunidades diretamente beneficiadas, mas para o conjunto da população dos municípios envolvidos. Estamos dizendo quais são essas ações e como estão sendo feitas. Por ora, estamos fazendo essas reuniões nos municípios de Brasília de Minas e Porteirinha, mas já estamos vendo a data para realizármos em Araçuaí”, informa a diretora de Infraestrutura da Emater-MG, Fabíola Paulino da Silva.

Segundo a diretora, estão sendo construídas barraginhas, também conhecidas como bacias de captação de água, para conter erosões e permitir maior absorção da água de chuva e a recomposição dos lençóis freáticos.

O coordenador técnico da Emater-MG, Ivaldo Martins, explica que os estudos apontaram um alto nível de degradação ambiental nas bacias contempladas pelo convênio.

“Nas regiões constatamos grandes extensões de pastagens mal manejadas. Com o tempo elas se tornaram pontos de erosões e de não infiltração da água da chuva no solo. E isso diminuiu bastante a vazão dos rios, que não é significativa, pois são locais próximos do semiárido. Quando chove formam enxurradas, que não entram na terra, levando árvores, entulho e pedra. Isso tudo vai para o curso principal e acaba afetando as casas e plantações dos agricultores”, argumenta.

Para a diretora Fabiola Paulino Silva, a expectativa com os resultados é muito favorável, principalmente com o início do período de chuvas. Ela aponta que a metodologia de Zoneamento Ambiental Produtivo (ZAP), desenvolvida pela empresa para compor o diagnóstico das áreas estudadas, ajudou muito e pode ser utilizada em trabalhos semelhantes da empresa em outros municípios.

“Pelo que a teoria aponta, essas intervenções vão beneficiar ambientalmente essas bacias, mas a gente já sabe que existe um desejo grande de outros municípios participarem ou até mesmo dos que já participam ampliar para outras comunidades. Então o nosso principal objetivo com essa ação é difundir essa metodologia, esse tipo de trabalho, essa ação que a empresa vem fazendo com seus parceiros, para que a gente possa ampliar cada vez mais”, aponta.

Zoneamento Ambiental Produtivo

A metodologia do Zoneamento Ambiental Produtivo permitiu a utilização de imagens de satélites, estudos de disponibilidade hídrica, mapa dos solos e paisagens existentes em cada sub-bacia para compor o diagnóstico delas.

“Esta é uma ferramenta de trabalho, desenvolvida pela Emater-MG, para identificar áreas de fragilidade e potencialidades, seja no desenvolvimento da agricultura, como na proteção ambiental, recarga e outros aspectos”, acrescenta o gerente de Divisão da Inovação e Tecnologia Ambiental da Emater-MG, João Carlos Guimarães.

Conforme o gerente, esse é um trabalho que está dentro da agenda de segurança hídrica e sustentabilidade que a empresa se prontificou a trabalhar, em consonância com o Estado e suas diretrizes.

 

Fonte:Agência de Minas

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos