Postado em terça-feira, 10 de outubro de 2017 às 10:09

Excesso de peso é hereditário?

 

 

A obesidade, em todas as faixas etárias, é intensamente estudada no mundo inteiro e procura-se, cada vez mais, entender os seus mecanismos hereditários. Tudo certo.

Por outro lado, não há dúvidas de que o estilo de vida também tem uma influência enorme no crescente aumento de crianças obesas. Para que se tenha uma ideia, dados apontam que a obesidade infantil no Brasil aumentou aproximadamente 300% nas crianças de 5 a 9 anos de idade nos últimos anos.

Claro que estes números preocupantes refletem muito menos eventuais alterações na expressão genética e hereditária das crianças brasileiras nos últimos 15 anos e muito mais mudanças essenciais na alimentação e no estilo de vida.

Na verdade, estes números referentes à obesidade infantil relacionam-se não apenas aos hábitos alimentares das crianças, mas também – e principalmente -- aos hábitos alimentares de seus respectivos pais ou responsáveis.

Recentemente a nutricionista Gabriela Pap da Silva analisou crianças na cidade de Ribeirão Preto, de 6 a 10 anos e observou que “a maior parte das crianças que apresentaram excesso de peso possuía responsável também com excesso de peso”.


Cada família tem seus próprios hábitos alimentares. Se os pais ou responsáveis tem hábitos pouco “saudáveis”, as crianças, com certeza absoluta, irão pelo mesmo caminho. Quem vai ao supermercado e quem faz a comida de casa não são as crianças. Crianças em geral seguem os exemplos alimentares que cotidianamente lhes são apresentados.

Por isso, se você deseja que seu filho obeso ou com sobrepeso perca peso, faça antes estas 5 perguntas para você mesmo e reflita bem sobre suas respostas:

1. A família, inclusive irmãos, estão, de verdade, dispostos a mudar hábitos de vida e alimentação junto com a criança que está com sobrepeso ou obesidade? Sabiam que quem faz dieta é a família?

2. Vocês estão dispostos a almoçar e/ou jantar juntos todos os dias?

3. Vocês têm o hábito de praticar exercícios físicos?

4. Vocês conseguem fazer um lanche saudável, fresquinho e gostoso todos os dias para seu filho levar para a escola? Seu filho está ciente de que vai levar lancheira e não deve “devorar” o lanche alheio?

5. Vocês estão dispostos a comprar uma briga para limitar o uso de computador, videogame e TV no máximo 2 horas por dia?


Não é fácil mudar o próprio estilo de vida. Precisa ter muito foco e força de vontade. Mudar o estilo de vida de “outros” – no caso, das crianças que precisam perder peso -- é muito mais complexo. A determinação deve ser de todos da família. Juntos.

Fonte: G1 Bem Estar

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos