Postado em quarta-feira, 4 de outubro de 2017 às 10:10

Chuvas dos últimos dias fazem abastecimento ser normalizado em cidades com rodízio, diz Copasa.

A chuva voltou e com ela vem o alívio de cidades que até pouco tempo vinham sofrendo com a falta de água. Em pelo menos quatro cidades do Sul de Minas, onde o abastecimento estava sendo feito por rodízio, o fornecimento já foi normalizado, conforme a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

"Nós tivemos o retorno das chuvas a partir da sexta-feira passada, no sábado, no domingo já não houve, mas ontem e hoje (terça-feira) sim. Com isso, as quatro cidades nossas que estavam com rodízio passaram a ter o abastecimento normalizado: Campanha Campos Gerais, Areado e o distrito de Águas de Contendas, em Conceição do Rio Verde", disse o gerente regional da Copasa em Varginha, Marco Aurélio Ribeiro.

Segundo Ribeiro, só nos primeiros dias de chuva na região, foram registrados 50 milímetros. Já a previsão para o mês inteiro, conforme dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), é de 130 milímetros.

Apesar da boa notícia, a previsão é de que as chuvas tenham uma pausa de pelo menos 15 dias durante o mês de outubro e voltem com força a partir de dezembro.


"Nós temos que lembrar que essa estiagem tem nos afetado há alguns anos. Então uma estiagem de vários anos não vai ser resolvida com poucos dias de chuva. Estamos com a chuva iniciando praticamente e vamos precisar que essa chuva se estenda. Nós temos que ter a expectativa que na segunda quinzena de outubro, novembro, dezembro, as chuvas continuem", diz o gerente da Copasa.


Apesar da boa previsão até o fim do ano, o representante da Copasa fala sobre a importância da população economizar e evitar o desperdício de água.

"Acredito que a gente tem que ter uma nova visão com essa crise hídrica instalada ao longo de anos. Nós temos que rever esse conceito (da economia) independente do retorno das chuvas. Nós temos que ter cautela para utilização e preservação desse líquido tão precioso que é a água. Evitar o desperdício, pois evitando, não vai acontecer essa questão de rodízio que vem acontecendo", disse Ribeiro.

Conforme o gerente, apesar das denúncias de desperdício, em 60% dos municípios cobertos pela Copasa, os moradores têm uma faixa de consumo de até 10 mil litros por mês.


A Copasa não tem poder de polícia. A gente ainda assiste pessoas lavando calçadas, lavando veículos, em uma fase tão dificil quanto a época da estiagem. A população aprendeu a economizar, vem atendendo aos pedidos, aos chamados da Copasa nos progrmas de conscientização. A gente tem que a partir de agora fazer isso independente do volume de mananciais, independente em ter água em abundância", completou o gerente da Copasa.

Estiagem e rodízio


Devido à estiagem que chegou a pouco mais de dois meses no Sul de Minas, alguns municípios chegaram a entrar em esquema de rodízio de água. Até a semana passada, quatro municípios atendidos pela Copasa e Passos, atendido pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), já estavam no sistema de economia.

Além dessas cidades, conforme levantamento feito pela EPTV Sul de Minas, afiliada Rede Globo, outros 40 municípios da região estavam com diminuição de captação de água. No entanto, elas ainda não estava fazendo o sistema de rodízio.

 

Fonte: G1 Sul de Minas

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos