Postado em 4 de fevereiro de 2017

Sem a periferia, o centro entraria em colapso

Autor: Leonardo Miranda

Antes de generalizar e desfazer dos bairros mais pobres pense: De onde vêm as mulheres que limpam, cozinham e cuidam das crianças nas casas mais chiques da cidade? De onde vêm os pedreiros que constroem essas casas? De onde vêm as pessoas que garantem a limpeza das ruas? De onde vêm os operários, atendentes, motoristas, entregadores e seguranças? Ou seja, de onde vem a maioria das prestadoras e prestadores dos mais variados tipos de serviços, sem os quais você não teria a vida que tem?

Logo, antes de menosprezar uma região pobre da cidade, tente mensurar sua importância e verá que, independente do tamanho de suas riquezas individuais, a periferia está o tempo todo ao seu redor, constituindo junto com você tudo que faz a cidade ser o que ela é.

Basta dessa generalização estúpida, a maioria dos moradores da periferia é honesta sim! Pobreza não é sinônimo de delinquência. Lembre-se que os moradores da periferia são mais vítimas da violência do que você, elegante morador de bairros nobres, é. Portanto, dispa-se de mais esse preconceito e tenha gratidão e respeito.

Leonardo Miranda
Jornalista
Leonardo Miranda é jornalista formado pela Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) e atuante em Alfenas há sete anos. Há 5 anos trabalha como repórter na TV Alfenas e há três anos é o profissional responsável pelo conteúdo da Revista QShow.